Começa a vacinação contra a febre amarela

A campanha é uma estratégia determinada pelo Ministério da Saúde, que está liberando doses fracionadas e trabalhando para evitar possíveis epidemias no país


Tribuna da Bahia, Salvador
19/02/2018 11:56 | Atualizado há 1 dia, 21 horas e 44 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Rayllanna Lima

O estado da Bahia retoma nesta segunda-feira (19) a campanha de vacinação contra febre amarela. O objetivo, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), é imunizar 95% da população de Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Candeias, Mata de São João, São Francisco do Conde, Itaparica e Vera Cruz até o dia 9 de março, quando deve acabar a campanha. Já o Dia D da vacinação acontece próximo dia 24.

A campanha é uma estratégia determinada pelo Ministério da Saúde, que está liberando doses fracionadas e trabalhando para evitar possíveis epidemias no país. “Todos os que já receberam a vacina ao longo da vida, como informa a Sesab, não precisam participar da campanha e tomar novamente outra dose”, explica a Sesab.

Estudos realizados pela Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (FioCruz-RJ) demonstram que a utilização da dose fracionada da vacina protege indivíduo pelos próximos oito anos. Ultrapassado o prazo, um novo reforço da imunização deve ser feita.

Neste momento, as vacinas são destinadas para pessoas acima de dois anos de idade, incluindo indígenas, "desde que apresentem condições clínicas especiais". Todos os que já receberam a vacina ao longo da vida, como informa a Sesab, não precisam participar do mutirão e tomar novamente outra dose.

Dose Padrão 

Durante a campanha, a dose padrão será disponibilizada apenas para crianças de 9 meses a menores de dois anos de idade, gestantes com indicação escrita do médico, viajante internacional que necessite a emissão do certificado internacional de vacinação e profilaxia e para pessoas que apresentarem condições clínicas especiais avaliadas pelo serviço de saúde. 

Casos 

No ano 2000, na Bahia, foram confirmados dez casos de Febre Amarela Silvestre em pessoas residentes nos municípios de Coribe e Jaborandi. Deste total, três foram a óbito. Estes foram os últimos casos autóctones (quando a infecção acontece no próprio local de residência) registrados no estado. Em 2018 houve a confirmação de um caso importado da doença.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas