Nem Rodrigão, nem Hernane no ataque da equipe Tricolor

Técnico Carpegianni deixou claro os seus critérios de trabalho para os jogadores do Bahia no CT do Fazendão


Tribuna da Bahia, Salvador
07/10/2017 11:19 | Atualizado há 12 dias, 5 horas e 54 minutos

   
Foto: Felipe Oliveira/;Ascom/ECBahia

Foi apenas uma avaliação, afinal ainda é muito cedo para o técnico Paulo César Carpegianni começar a definir mudanças no time do Bahia. Mas o novo treinador fez uma observação que pode mudar tudo na forma de jogar da equipe já no jogo de quinta-feira, contra o Palmeiras, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, pela 27ª Rodada da Série A do Campeonato Brasileiro: Edigar Junio no comando de ataque.

Não será novidade. O Bahia, sem Hernane, contundido, e ainda sem a chegada de Rodrigão, já optou pelo aproveitamento de Edigar Junio no comando de ataque. Mas com Carpegianni, o aproveitamento deste jogador no comando de ataque, acena, de imediato, não apenas uma mudança técnica, mais uma mudança radical na postura tática do time Tricolor.

“Não somos salvadores da pátria, mas temos de obrigação e responder à torcida com boas atuações. Temos uma série de situações com jogadores do grupo e vamos avalkiar para usarmos os melhores no seu momento”, disse o técnico Carpegiani, que de imediato suspendeu as folgas no CT do Fazendão.

O treinador que aproveitar cada minuto que terá à disposição para trabalhar com o grupo, e ontem trabalhou em tempo integral, pela manha e à tarde no CT do Fazendão, uma novidade na programação do Tricolor. Na primeira avaliação, ele armou o time com: Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Feijão, Juninho; Zé Rafael, Vinícius e Mendoza; Rodrigão (Edigar Junio). O Bahia não terá Tiago e Edson, suspensos, Allione, Thiago Martins e Matheus Reis, que pertencem ao Palmeiras.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas