Bahia tem assédio de clubes e empresários por jogadores

Felipe Cerri admite consultas e propostas por jogadores do Bahia, mas garante que não existe negociações em andamento


Tribuna da Bahia, Salvador
09/10/2017 11:39 | Atualizado há 8 dias, 4 horas e 57 minutos

   
Foto: Felipe Oliveira/Ascom/ECBahia

O Bahia não sabe ainda nem que será seu presidente para o próximo triênio, com eleições marcadas para o dia 9 de dezembro, quanto mais se Paulo César Carpegianni será o treinador do time para a campanha de 2018, e quais os jogadores que vai manter no CT do Fazendão. Mas, desde já, o clube Tricolor sofre assédio de empresários e de clubes do futebol brasileiro, interessados em alguns dos seus principais jogadores que estão se destacando na disputa da Série A do campeonato Brasileiro.

No último final de semana o diretor de futebol Diego Cerri revelou para a imprensa que Zé Rafael é o jogador que mais tem recebido sondagens neste ano, e que o Corinthians é o principal interessado no meio-campista de 24 anos. Santos e Palmeiras também seguem o atleta de perto. Mas Cerri deixou claro que não abrirá negociações com nenhum clube ou empresário, antes do final desta temporada, e provavelmente antes da eleição da nova diretoria.

“Já fomos avisados pelos empresários do Zé Rafael sobre o interesse de alguns clubes”, disse o diretor do Tricolor baiano, ressaltando ainda que o goleiro Jean e o lateral-esquerdo Juninho Capixaba fazem parte desta sondagens de clubes por jogadfores do Bahia. Com contrato até 2019, Zé Rafael é um exemplo de bom custo-benefício. O jogador foi comprado por R$ 500 mil junto ao Coritiba. O Esquadrão tem 70% de seus direitos federativos.

Para levar Zé Rafael, o Corinthians estaria oferecendo o atacante Medonza, que já está no CT do fazendão, o lateral-esquerdo Moisés, que jogar pelo Bahia no ano passado, e mais uma compensação em dinheiro.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas