Rui diz que dissidência do Podemos é ‘fake news’

Governador classificou como intriga da oposição suposta fratura em sua base aliada


Tribuna da Bahia, Salvador
09/11/2017 07:57 | Atualizado há 11 dias, 2 horas e 22 minutos

   
Foto: Secom/GovBa

Por Romulo Faro 

O governador Rui Costa (PT) minimizou a suposta articulação do Podemos para deixar sua base de apoio e migrar para o time do prefeito ACM Neto (DEM), que deve ser candidato ao governo do Estado nas eleições de 2018. Na cerimônia de entrega de um viaduto do metrô em Stella Maris ontem, Rui classificou como “fake news” e “intriga da oposição” a informação, que também já foi desmentida por membros do Podemos ouvidos pela Tribuna. “Nessa época, em vez de dar presente de Natal, tem gente que prefere dar fofoca, intriga e falsa notícia. É fake news que os próprios representantes dos partidos trataram de desmentir”, disse Rui em entrevista coletiva. Nos bastidores a informação foi de que deputados do Podemos estariam insatisfeitos com o governo e estariam querendo levar o partido de volta para a base de ACM Neto. 

Em entrevista à Tribuna ontem o vice-governador, João Leão (PP), disse que acha “difícil” a articulação, pelo fato de o presidente do Podemos na Bahia, deputado federal João Carlos Bacelar, ser terminantemente contrário ao governo de Michel Temer (PMDB). “Eu acho difícil isso ser verdade. Bacelar é contra Temer. Como ele poderia ser contra Temer e ao mesmo tempo aliado de ACM Neto? As pessoas não entenderiam”, disse Leão. 

Ainda sobre o cenário pré-eleitoral, o governador Rui Costa também minimizou ontem a possibilidade de PT e PMDB fazerem composição de chapa para a disputa do próximo ano. O petista voltou a usar a expressão “fake News”. “A internet, a comunicação hoje em dia, é espetacular, um fenômeno mundial, traz muitas coisas boas. Mas junto com as coisas boas traz esse fenômeno atual que é o fake, a mentira, a falsa notícia. Isso acontece no mundo inteiro. A pulverização de notícias falsas através de personagens falsos ou plantando notas ou divulgando notas falsas nas redes sociais”, disse Rui. 

O governador foi cauteloso ao comentar a situação do casal de prefeitos do PSD Cláudia Oliveira e Robério Oliveira, de Porto Seguro e Eunápolis, respectivamente, e do gestor de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos, irmão de Cláudia e também do PSD. O partido do senador Otto Alencar é o maior em número de políticos com mandato na base de apoio de Rui Costa. De acordo com as investigações, os gestores lideram uma quadrilha responsável por desviar cerca de R$ 200 milhões de recursos públicos dos municípios por meio de fraudes em licitações.

“Você tem que deixar decantar. Deixar ver o que é, dar a oportunidade de as pessoas se manifestarem, de se defenderem. O tempo ajuda a decantar para saber o que é falsa notícia, o que é verdadeiro, o que é responsabilidade de cada um. Eu prefiro aguardar o passar dos dias para poder fazer um juízo de valor”, disse Rui.

Leia mais na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas