Torcida do Vitória pede afastamento de Petkovic, Gallo e Ivã

Faixas e cartazes criados pela torcida circulam na rede social pedindo mudanças rápidas na estrutura do clube


Tribuna da Bahia, Salvador
17/07/2017 07:06 | Atualizado há 6 dias, 8 horas e 2 minutos

   

O árbitro carioca Bruno Arleu errou, meteu a mão, marcou pênalti que não houve, e prejudicou sim o time Rubro-negro, que vencia o jogo por 1 a 0. Mas a 8ª derrota do Rubro-negro baiano, com a segunda goleada consecutiva no Campeonato Brasileiro, de 4 a 2 para o Palmeiras, ontem pela manhã no Allianz Parque, em São Paulo, pode ser a gota d’água para uma mudança radical no Vitória, que afundou no Z-4 da Série A, 19º colocado, vice-lanterna, com apenas 12 pontos ganhos dos 42 disputados, menos de 30% de aproveitamento, e um sério candidato, virtualmente rebaixado para a 2ª Divisão em 2018.

Depois de perder de 4 a 1 para no Vasco, no Barradão, e antes da goleada de 4 a 2 para o Palmeiras, em São Paulo, e o crescimento do movimento dos sócio-torcedores pela convocação da AGE – Assembleia Geral Extraordinária, já circulava na rede social a informação de que o presidente eleito, Ivã de Almeida, estaria se licenciando e passando o cargo para o seu vice-presidente, Agenor Gordilho Filho. 

Além disso, dentro do que está sendo especulado nos grupos da rede social, sairia também à cúpula do futebol profissional, o Gestor Dejan Petkovic e o técnico Alexandre Gallo, e que o ex-treinador Vagner Mancini, livre no mercado, estaria chegando a Salvador já para dirigir o time Rubro-negro no jogo desta quarta-feira, contra o Grêmio de Porto Alegre, no Estádio Manoel Barradas, válido pela 15ª Rodada da Série A do Brasileiro.

O clima ficou insustentável para Ivan de Almeida e para o técnico Alexandre Gallo, e grupos no WhatsApp estariam marcando uma mega manifestação na volta da delegação Rubro-negra nesta segunda-feira a Salvador, pedindo a saída de Gallo e Petkovic, e à noite, nos portões do Complexo da Toca do Leão, para exigir a renúncia do presidente Ivã de Almeida.

O Vitória abriu o placar logo aos 9 minutos, com Uillian Correia, teve um gol de Patrick anulado e o Palmeiras empatou num pênalti inexistente, aos 36, cobrado por Roger Guedes, e Dudu virou o placar aos 45 minutos. No segundo tempo o time paulista abriu o placar em 4 a 1, com gols de Mayke, aos 26 e Dudu, aos 31, e David definiu o placar da derrota do Rubro-negro baiano em 4 a 2 aos 39 minutos do segundo tempo.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas