Armandinho encerra projeto ‘Pôr do Sol’ ao som da guitarra baiana

A Praça Castro Alves, onde foi realizado o projeto, já foi ponto de encontro de trios elétricos na década de 1970


Tribuna da Bahia, Salvador
13/02/2018 20:45 | Atualizado há 7 dias, 13 horas e 7 minutos

   
Foto: Jefferson Peixoto

O projeto Pôr do Sol embala os carnavais soteropolitanos desde 2016. Tendo como palco a praça Castro Alves, no Centro Histórico, os foliões encontram o cenário ideal para boa música. Neste terça (13), o encerramento da iniciativa ficou por conta de Armandinho, que animou os presentes ao som de grandes sucessos da sua trajetória, e dos irmãos Macêdo, que há 45 anos tocam juntos no trio elétrico Armandinho, Dodô e Osmar. 

A Praça Castro Alves já foi ponto de encontro de trios elétricos na década de 1970 e tem uma aura toda especial para Armandinho. “É um momento de retorno ao local que foi palco de grandes emoções no Carnaval da Bahia. O pôr do sol será o momento da gente relembrar e poder passar para o povo toda nossa história musical que aconteceu na praça e que vem até os dias de hoje”, conta. 

Cantando hits como “Atrás do Trio Elétrico” e “Chame Gente”, Armandinho trouxe de volta a nostalgia de outros carnavais, com toda força da guitarra baiana e dos gigantes da música que passaram por aqui. O show do artista se tornou uma verdadeira celebração do festejo baiano, que é considerado um dos maiores do mundo e arrasta pessoas de todo o globo para as ruas de Salvador. 

O projeto Pôr do Sol este ano foi diferente: o que se concentrava em apenas um dia, passou a ter três. Começou no domingo (11) com Baby do Brasil, Pepeu Gomes, Moraes Moreira e Davi Moraes. Na segunda-feira (12), foi a vez da inovadora e animada Àttooxxá, dona do hit “Elas Gostam (Popa da Bunda)” em parceria com o Psirico. O encerramento ficou por conta de Armandinho. 


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas