Raio Laser - 10/4 - Alternativas

Os deputados federais tucanos João Gualberto, que disputará o cargo de governador, Jutahy Magalhães Jr., que se lançará ao Senado, esperam dar uma satisfação à sociedade e lutar contra a hegemonia petista na Bahia


Tribuna da Bahia, Salvador
10/04/2018 08:19 | Atualizado há 12 dias, 8 horas e 29 minutos

   
Foto: Reprodução

Ao decidir anunciar ontem o nome de seu candidato ao governo e daquele com que marchará ao Senado, o PSDB procurou não perder tempo em relação, sobretudo, ao DEM, que já no sábado passado se apresentou com candidato definido, depois que o prefeito ACM Neto (DEM) anunciou que não concorreria mais à Prefeitura. Assim, os deputados federais tucanos João Gualberto, que disputará o cargo de governador, Jutahy Magalhães Jr., que se lançará ao Senado, esperam dar uma satisfação à sociedade e lutar contra a hegemonia petista na Bahia, bandeira que haviam jogado integralmente no colo do prefeito enquanto ele sinalizou que pretendia levar adiante o projeto de se candidatar à sucessão estadual.

Sondagens

Antes de se desincompatibilizar do cargo de prefeito de Feira de Santana, o candidato ao governo do DEM, José Ronaldo, procurou os principais líderes oposicionistas no Estado para saber se havia condições para que lhe apoiassem. Todos, por uma boca só, afirmaram que ainda era muito cedo para definições, antecipando que o PSDB lançaria uma chapa com pelo menos os nomes de João Gualberto e Jutahy Magalhães Jr. e havia interesse no nome de Bruno Reis (DEM) ao governo.

Zanga

Apesar de não ter deixado o DEM, Elmar Nascimento, deputado baiano que preside o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, tem demonstrado a todos que, depois de ter esfriado do impacto da notícia de ACM Neto (DEM) de não concorrer ao governo, sua zanga parece ter só aumentado com o prefeito de Salvador. No sábado, disse para quem quisesse ouvir que Neto tem muitas qualidades, mas lhe falta uma essencial como líder: a coragem.

Profissa

A quantidade de cards e piadas muito bem elaboradas que circularam nas redes sociais em seguida ao anúncio de ACM Neto (DEM) de que não concorreria ao governo tem levado os assessores de comunicação do prefeito a concluírem que a estrutura do concorrente Rui Costa (PT) trabalhou forte para buscar desgastá-lo no momento em que a decisão veio à tona.

Revolta

Na família de ACM Neto, a mãe, dona Rosário, que é uma mulher forte e considerada uma autêntica liderança política, muito respeitada por todos que os conhecem, foi voto vencido na defesa de que o filho concorresse ao governo. Chegou a se irritar ao tomar conhecimento de que, na equipe de comunicação do prefeito, por medo de perderem os contratos com a ascensão do vice Bruno Reis (DEM) ao cargo de prefeito, algumas cabeças já trabalhavam o discurso de desistência.

Malhação

A fúria de alguns aliados contra ACM Neto por causa da desistência de disputar a sucessão é tão grande que até o discurso emocionado em que ele elenca os motivos para permanecer no cargo de prefeito de Salvador tem sido usado para atacá-lo em algumas rodas mais restritas da política, nas quais a atividade principal de alguns que se declaravam antes amigos é só malhá-lo.


Leia a Coluna completa na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual (clicando na capa do jornal que está na home do site).

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas