Wagner é quarta opção do eleitorado para substituir Lula

Apesar de ser cotado como o “plano B” de Lula, o ex-governador Jaques Wagner tem descartado e diz que é pré-candidato ao Senado Federal na chapa do governador Rui Costa (PT)


Tribuna da Bahia, Salvador
07/06/2018 08:05 | Atualizado há 17 dias, 5 horas e 43 minutos

   

Por Rodrigo Daniel Silva

Um levantamento feito pelo DataPoder360 apontou que a maioria do eleitorado brasileiro defende que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), caso não seja candidato na eleição deste ano, apoie o ex-ministro Ciro Gomes (PT) na disputa pelo Palácio do Planalto. Na pesquisa, o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), aparece apenas como quarta opção dos entrevistados. A consulta ofereceu aos eleitores quatro alternativas, e o pedetista liderou com 16%.  Já o ex-chefe do Palácio de Ondina teve apenas 8%. Na frente dele, apareceram o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), com 12%, e a ex-ministra Marina Silva (Rede), com 11%. Para maioria do eleitorado, 54%, o ex-presidente Lula não deve apoiar ninguém.

As respostas foram tanto de simpatizantes quanto de adversários do petista. Foram ouvidos 10.500 eleitores, por meio de telefones fixos e celulares, em 349 cidades em todas as regiões do país, de 25 a 31 de maio. À Tribuna, o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, reiterou que o Partido dos Trabalhadores não discute alternativa a Lula. “Não tem esse debate dentro do PT. Não adianta parte da grande imprensa e da oposição quererem. O candidato do PT é Lula. Não vou fazer esse debate de quem poderia herdar os votos de Lula. Não há radicalismo nem prepotência. Mas não tem esse debate, e vamos pedir o registro da candidatura de Lula no dia 15 de agosto. Vamos esperar o julgamento e os recursos”, pontuou.

Apesar de ser cotado como o “plano B” de Lula, o ex-governador Jaques Wagner tem descartado e diz que é pré-candidato ao Senado Federal na chapa do governador Rui Costa (PT). “Não temos plano B, nem C, X, Y ou Z. Nosso plano é Lula livre, Lula candidato e Lula presidente”, tem dito reiteradamente. O petista, no entanto, já deixou aberta a possibilidade de o PT não ter candidato e apoiar Ciro Gomes na corrida presidencial. Neste cenário, a agremiação indicaria o vice na chapa do pedetista. “Sempre defendi que, após 16 anos, estava na hora de ceder a precedência. Sempre achei isso. Não conheço na democracia ninguém que fica 30 anos.”, disse, ao admitir a hipótese.

Nos bastidores, o PCdoB avalia que, se o PT não discutir um “plano B”, os petistas vão acabar isolados na eleição, já que as siglas de esquerda tendem a apoiar o ex-ministro Ciro Gomes. “É um equívoco de quem está fazendo essa leitura. Todos pensaram que o PT ficaria isolado do Mensalão, depois no golpe [impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff] e a prisão 2018, mas não ocorreu. Agora, a sociedade mesmo está reagindo contra este governo golpista, a Previdência, a reforma trabalhista e o desmonte da Petrobras e da Eletrobras”, ressaltou. O ex-presidente Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, após ser condenado em segunda instância a 12 anos e um mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O ex-chefe do Palácio do Planalto deve ter a candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na Lei da Ficha Limpa, após a condenação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas