Presidente do BC entra em campo para demover Bolsonaro da decisão de demitir André Brandão do BB

O fechamento de agências, principalmente no interior, é um problema político sério para Bolsonaro, que não quer esse ônus.

Tribuna da Bahia, Salvador
15/01/2021 10:00 | Atualizado há 4 horas e 51 minutos

   
Foto: Reprodução

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, entrou em campo para reverter a decisão do presidente Jair Bolsonaro de demitir André Brandão da presidência do Banco do Brasil. 

Campos Neto, que tem alta estima do presidente, o alertou de que uma demissão seria avaliada como interferência política em uma empresa pública que tem ações na Bolsa. Os funcionários do banco receberam sinalização de que Brandão ficará no comando.

A situação está mais controlada, porém, não está definida completamente por causa dos rumos daqui para frente do plano de reestruturação. O presidente ficou indignado com a decisão de Brandão de anunciar o fechamento de agências e fazer PDV neste momento. Bolsonaro alega ter desconhecimento do plano.

O presidente pediu informações, segundo fontes do Palácio do Planalto. A interlocutores, Bolsonaro tem dito que não quer interferir em nada “como estão dizendo”, mas que precisa ter sensibilidade para no momento de pandemia não propor esse tipo de medidas. O fechamento de agências, principalmente no interior, é um problema político sério para Bolsonaro, que não quer esse ônus.

O presidente insiste que quer ser informado com antecedência, motivo de insatisfação com o Ministério da Economia, ainda mais de medidas que têm forte impacto sobre a opinião pública. O argumento é que o banco não pode só pensar no negócio. Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes articularam essa movimentação. Campos Neto é um dos padrinhos de Brandão para o cargo. A saída de Brandão seria mais uma grande derrota para a política de Guedes.

Fonte:  Estadão Conteúdo


Compartilhe       

 




Mais sobre