Valdemir Santana - Edição do dia 20/10

Paula Dib ensinou o mestre Ai Weiwei a descobrir a arte na Bahia


Tribuna da Bahia, Salvador
20/10/2018 10:08 | Atualizado há 15 horas e 5 minutos

   
Foto: Reprodução

Uma designer de prestigio mundial, a paulistana Paula Dib ( na foto sendo maquiada em Moçambique), é a explicação para saber por que o artista plástico chinês Ai Weiwei escolheu a Bahia como ponto de partida para a produção de boa parte das peças que estão, a partir de hoje, na exposição “Raiz” do espaço “Oca” em São Paulo. A cena artsy mundial fica de olho no Brasil por se tratar da maior exposição feita em vida pelo artista que ganhou destaque quando projetou o estádio “Ninho de Pássaros” para as Olimpíadas de Pequim, em 2008.

Fez o estádio, fez denúncias políticas e foi perseguido e preso pelo governo chinês, mas Ai Weiwei não parou de instigar o mundo com sua arte, principalmente a partir do ano passado, com a série de instalações e filmes sobre os refugiados políticos. No Brasil a partir deste sábado, as peças produzidas na Bahia figuram ao lado de trabalhos inacreditáveis como a gigante “Straight” com 164 toneladas de vergalhões de aço e produzida na China com escombros recolhidos após um terremoto.

Paula Dib é formada pela “FAAP” de São Paulo, e fez a ponte entre Ai Weiwei e os artesãos baianos a partir do influente curador da mostra “Raiz” Marcello Dantas. Ela não é novata no intercambio entre a Bahia e o mundo. Começou atuando na comunidade “Helvécia” do sul do estado, criada com o mecenato da poderosa “Suzano Papel e Celulose”. Atualmente é consultora da rede “Artesol” que orienta grupos de artistas também em área baiana, na região de Sauípe.

Réveillon no rooftop do “Fasano Salvador” atiça o grand monde 

A festa de réveillon no rooftop do “Fasano Salvador” o primeiro hotel de luxo do norte e nordeste, já repercute no society carioca. E de forma bem curiosa e chique. Os detalhes para a comemoração de chegada do Ano Novo foi publicada esta semana no site do “Fasano Group”, a holding criada em São Paulo, no início do século por imigrantes da poderosa Milão. 

A curiosidade é que, quem se animou com a notícia e enviou o link para informações a amigos baianos foi a socialite Vera Simões de Bocayuva Cunha, herdeira da família que criou a holding editorial “Grupo A Tarde” responsável pela construção do prédio onde fica o hotel baiano em fase de inauguração. Verinha Bocayuva é um dos ícones do grand monde no Rio de Janeiro. Na foto ela é homenageada com festa de aniversário pela colunista Hildegard Angel Bogossian.

Halloween nova-iorquino com jeito baiano

Com origem nos rituais celtas da Irlanda, e famosa por agitar o calendário de eventos dos Estados Unidos, a festa de réveillon ganha estilo baiano este ano em Nova York. A cidade mais festeira do país. É Silvana Magda, a dançaria e produtora que deixou Salvador para agitar o circuito cultural de Nova York e Newark, a maior atração do pré-halloween deste sábado, dia 27. 

Fantasiada com coloridos torços em estilo Carmem Miranda, Sivana, incendeia o animado night clube “Sob’s”, junto com o grupo musical “Katende Band” e os dançarinos do “Viva Brazil Dancers”. O espaço fica na Varick Street, que corta o bairro artsy “Tribeca”.

Museu francês leiloa arte de Pico Garcez

O fotografo paulista Pico Garcez, que divide seu endereço pessoal e profissional entre Salvador e Nova York, tem agenda em Paris no mês de novembro. O trabalho dele está selecionado para o leilão de arte promovido pelo “Mola”, o prestigiado “Museum of Living Art”. O evento acontece a partir dos 2s da tarde, dia 24. Atuando também como diretor de cinema e documentarista, o artista já foi premiado por quatro vezes, pela norte americana “Art of Intuitive Photography” de Nova York.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas