Casa Branca autoriza Biden a receber relatórios de inteligência

Agora, além de Donald Trump, o presidente eleito também receberá o documento com informações confidenciais. Casa Branca prepara transição mesmo com a recusa do republicano em reconhecer a derrota nas urnas

Tribuna da Bahia, Salvador
25/11/2020 06:30 | Atualizado há 2 dias, 7 horas e 30 minutos

   
Foto: Joshua Roberts / Reuters

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, passará a receber os relatórios de inteligência que são enviados a Donald Trump, derrotado na tentativa de se reeleger. A decisão foi tomada pela Casa Branca, informaram as agências Reuters e Associated Press nesta terça-feira (24).

Esses relatórios passados ao presidente incluem informações confidenciais sobre segurança nacional e ameaças à paz tanto nos EUA quanto no mundo.

Mesmo com a recusa do republicano em admitir a derrota nas eleições presidenciais, o gabinete do governo americano responsável pela transição anunciou na segunda-feira que iniciaria a transferência de documentos à equipe de Biden. A página oficial do time do democrata, inclusive, recebeu o direito de usar .gov, o que sinaliza essa oficialização.

Também nesta terça, o secretário de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar, admitiu que o órgão está trabalhando para enviar relatórios ao novo governo e prometeu uma transição "profissional, cooperativa e colaborativa".

Recentemente, médicos dos EUA criticaram a insistência do governo Trump em não passar os dados da Covid-19 à equipe de Biden em pleno recrudescimento da pandemia do coronavírus no país.

Em pronunciamento nesta tarde, o presidente eleito anunciou formalmente os nomes de parte de seu gabinete de governo, que toma posse em 20 de janeiro. "Juntos, esses servidores públicos vão restaurar a América globalmente e sua liderança moral e global", afirmou Biden.

"É um time que reflete o fato de que a América está de volta, pronta para liderar o mundo — e não se retirar dele", completou o presidente eleito.


G1

Compartilhe       

 




Mais sobre