Quase 30% dos exames realizados pelo Lacen de Covid-19 deram positivo

Mais de 135 mil exames deram resultado positivo na Bahia, segundo o Lacen

Tribuna da Bahia, Salvador
27/11/2020 06:30 | Atualizado há 7 horas e 22 minutos

   
Foto: Reprodução

Por: Yuri Abreu


Desde o início da pandemia - em meados de março - até o último dia 25 de novembro, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/BA), em Salvador, já realizou 502.210 exames do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus nos pacientes que se submeteram aos testes até agora. Desse total, 492.335 já foram liberados pela instituição (98%). Dentre esses, 135.247 (ou 27,45%) deram positivo para a doença.

Por outro lado, a grande maioria desses exames 345.796 (70,23%) teve resultado negativo para a Covid-19. Já outros 11.192 (2,27%) foram considerados inconclusivos. Ou seja, significa que apesar de a amostra ter sido processada adequadamente pelo laboratório, o tipo ou a quantidade de material genético presente nela não permitiu excluir a presença do vírus. Nesses casos, a sugestão é repetição do exame, pois é comum o resultado estar associado a quantidades muito pequenas de vírus, logo após os sintomas ou na fase de cura da doença, mesmo em assintomáticos.

Já outros 9.875 estão em análise entre os mais de 502 mil exames já feitos pelo Lacen em Salvador. De acordo com a entidade, a capacidade de testagem diária é de 4.000 exames e atualmente, o estoque de testes RT-PCR disponível é de 119.800. Na última quarta-feira, segundo a secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), chegaram até o Laboratório cerca de 5 mil amostras.

Neste mês, até o dia 9, a instituição liberou quase 24 mil exames, sendo que o dia de maior disponibilização ocorreu no dia 7, com 3.865 testes liberados e o menor ocorreu no dia 6, com 1.615. Já a média geral de novembro de testes liberados é de pouco mais de 2.660 por dia. Contudo, considerado o período desde 26 de setembro, o dia em que houve maior disponibilização de testes foi em 31 de outubro: 4.287.

Segundo a diretora geral do Lacen, Arabela Leal, com a pandemia, a unidade precisou ser ampliada e passou a funcionar com uma estrutura de emergência. “Os exames da Covid-19 precisam sair em grande volume e rapidamente, para darmos a resposta que a população precisa. Nós passamos a trabalhar 24 horas, sete dias por semana. Esta estrutura foi montada para a Bahia. O nosso laboratório de saúde pública está estruturado para o que vier”, afirmou a especialista.

Compartilhe       

 




Mais sobre