Bahia entra em contato com embaixadas da Rússia e da China visando vacina

No fim de semana, a Rússia anunciou que está na fase 2 dos testes e prometeu liberar vacinação em massa contra o vírus já no mês de outubro deste ano

Tribuna da Bahia, Salvador
04/08/2020 06:30 | Atualizado há 4 horas e 30 minutos

   
Foto: Dado Ruvic / Reuters

Por: Rayllanna Lima


Visando garantir para os baianos uma vacina efetiva contra o novo coronavírus, que provoca a Covid-19, o governador Rui Costa tem mantido contato com as embaixadas da Rússia e da China, colocando o estado à disposição para eventuais contribuições. No fim de semana, a Rússia anunciou que está na fase 2 dos testes e prometeu liberar vacinação em massa contra o vírus já no mês de outubro deste ano.

Segundo o governador, que também é presidente do Consórcio Nordeste, o contato com a embaixada russa ocorreu na semana passada. "Tivemos uma reunião pela internet com o embaixador da Rússia, demonstrando interesse da Bahia e dos estados do Nordeste em ter essa parceria, tanto para ajudar a fazer os testes da vacina, como eventualmente participar do processo de vacinação. Não temos convicção das datas, mas formalizamos na sexta-feira. Fizemos contato também com a Embaixada da China, falando do nosso interesse da Bahia e do Nordeste de participar dos testes da vacina", disse em entrevista à TV Bahia.

De acordo com ele, a estratégia é se aproximar de todas as instituições mundiais que estão atuando na produção da imunização, oferecendo apoio em pesquisa mas também para testagem de eventuais vacinas, de modo a garantir que a região não fique no final da fila da vacinação. Devido ao mal desempenho do governo federal durante a pandemia, conforme apontaram instituições internacionais, a distribuição de vacinas internacionais para o Brasil ficou comprometida.

"A Bahia já está participando, através da Instituição Irmã Dulce, dos testes da Pfizer, que é uma empresa americana. É importante que nós estejamos inseridos nos diversos fabricantes, para que possamos ter, em breve, a disponibilidade dessas vacinas aqui no Nordeste e na Bahia", declarou o governador.

Apesar de ainda não haver perspectiva real sobre uma imunização coletiva, Rui Costa demonstrou otimismo para o ano de 2021. "É uma corrida para ver quem chega primeiro e, evidentemente, com toda a segurança, nós queremos participar desses testes. Cada anúncio que sai, parece que daqui a um mês teremos a vacina. Acho que todas as vacinas que chegarem primeiro só estarão disponíveis, na melhor das hipóteses, na virada do ano", afirmou.

Compartilhe       

 




Mais sobre