Sol: início do verão alerta para o câncer de pele

Com os raios solares mais intensos, é preciso redobrar os cuidados com a pele


Tribuna da Bahia, Salvador
09/12/2018 14:05 | Atualizado há 16 horas e 54 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Rayllanna Lima 

Dezembro é um mês marcado por altas temperaturas e pela chegada do verão, que se inicia a partir do dia 21. Com os raios solares mais intensos, é preciso redobrar os cuidados com a pele. Para isso, foi criada a campanha #DezembroLaranja, quando a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza uma série de atividades para combater o câncer de pele, que deve atingir mais 165 mil pessoas no biênio 2018/2019, de acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Entre os anos de 2008 e 2015, a capital baiana registrou 1.254 casos de câncer de pele, que é o tipo da doença mais incidente no Brasil, correspondendo a 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Somente em 2014, 304 casos foram diagnosticados, representando o maior número em sete anos.

Ao longo do mês, diversas ações são realizadas gratuitamente no Centro Estadual de Oncologia (Cican) e no Hospital Aristides Maltez. Pelo interior, a campanha também é realizada em postos de atendimento nos municípios de Feira de Santana, Alagoinhas, Ilhéus, Jequié e Vitória da Conquista.

“Além do exame gratuito para prevenção e diagnóstico precoce do câncer da pele, a ideia da campanha é conscientizar a população para a necessidade de adotar hábitos preventivos, uma vez que no Brasil temos sol o ano inteiro e o efeito cumulativo da exposição aos raios solares é o principal fator de risco para a doença”, afirma a presidente da SBD – Regional Bahia, dermatologista Anete Olivieri.

As ações também serão estendidas até março de 2019, quando se encerra a estação mais quente do ano. Serão realizadas atividades de informação na internet, ruas, praias e parques. 

As recomendações básicas da SBD incluem a adoção de medidas fotoprotetoras, como evitar os horários de maior incidência solar (das 10h às 16h); utilizar chapéus de abas largas, óculos para sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo; procurar locais de sombra, bem como manter uma boa hidratação corporal.

A sociedade médica também orienta para o uso diário de protetor solar com fator de proteção de no mínimo 30, que deve ser reaplicado a cada duas a três horas, ou após longos períodos de imersão na água.

Doença

Conforme explica a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o câncer da pele é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele, sendo composto por diferentes tipos, que podem se manifestar de formas distintas.

Os mais comuns são denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular – chamados de câncer não melanoma – e que apresentam altos percentuais de cura, se diagnosticados e tratados precocemente. 

O terceiro tipo da doença é o melanoma, que, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. Quando descoberto no início, tem mais de 90% de chance de cura. 

Em todos os tipos, a exposição excessiva e sem proteção ao sol é a principal causa de câncer da pele, que pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegre­cida; como uma pápula ou nódulo avermelhado, cor da pele e perolado (brilhoso); ou como uma ferida que não cicatriza. 

A regra do autoexame , o ABCDE da pinta, ajuda na suspeita de uma lesão maligna e sinaliza que um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia deve ser procurado. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas