Por: Joaci Góes

Ponto de vista: A crise da Universidade Pública


Tribuna da Bahia, Salvador
25/11/2020 22:56

   

Aos queridos e eminentes amigos Mara e Augusto Aras!

Como temos repetido à saciedade, os dois maiores problemas brasileiros são educação e saneamento básico. A ausência desses temas essenciais da pauta das discussões e reivindicações populares é a maior prova de nosso mendicante processo educacional, em todos os níveis.

Os resultados, divulgados pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mostram o desempenho dos alunos de 15 anos de 79 países e territórios, em matemática, ciências e leitura. O Brasil continua com desempenho ruim e aparece entre as 20 piores colocações no ranking das três áreas analisadas pelo Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), abaixo de nações que nos surpreendem pela modéstia de recursos, relativamente às quais somos tentados a manter uma postura de equivocada superioridade, para não dizer arrogância.

Parodiando o conselho de Gandhi para agirmos de acordo com o padrão do mundo que consideramos ideal, como o modo mais eficaz de atuar sobre ele, vamos examinar como anda nossa alma mater, a Universidade Federal da Bahia, que já viveu momentos de brilho e esplendor, em passado relativamente recente, apesar de pobre no cenário internacional. Basta lembrar que a USP, Universidade de São Paulo, a melhor do Brasil - um dos dez maiores pibs do Planeta -, não consegue assento permanente entre as duzentas melhores do Mundo. Ater-nos-emos a critérios objetivos, facilmente aferíveis pelo leitor, bastando acessar os abundantes dados disponíveis nos sites dedicados à matéria. A avaliação do desempenho acadêmico de uma universidade leva em conta 13 fatores, dentre os quais citações de pesquisa, titulação dos professores, transferência de conhecimento para a sociedade e sua expressão no meio internacional. Nossa UFBA, tendo perdido quatro posições entre 2018 e 2019, aparece num modesto 18° lugar, abaixo das universidades federais de Sergipe, Ceará, Alagoas e de Pelotas, cidade do interior do Rio Grande do Sul!!! A Universidade Federal de Sergipe aparece entre as dez melhores, passando a desempenhar no Nordeste Brasileiro um papel que já pertenceu à UFBA, quando gerida com genuíno espírito acadêmico. Observe-se que o custo anual de um aluno da Universidade pública brasileira é um pouco mais de US$14.000, anuais, ou seja: US$1.163 mensais, o que perfaz uma mensalidade de R$ 6.222,00 (Seis mil, duzentos e vinte e dois reais), gasto superior a de países como Estônia, Espanha, Irlanda, Itália, México e Portugal.

Será necessário dizer mais para arguir que necessitamos, urgentemente, mudar de rumos, fazendo nossa amada UFBA retornar ao leito de sua histórica destinação de que foi desviada pelo pior dos populismos, o universitário, negação do espírito iluminista que rege a vida acadêmica, desde sempre? A maior demonstração do processo de emasculação por que passa o caráter baiano consiste em sua abulia cívica ao se comportar com ominosa indiferença diante desse assalto que sofre a UFBA pela irresponsabilidade pedagógica, alimentada por sectarismos tribalistas-bolivarianos que estiolam nosso avanço na direção da sociedade aberta que conduz aos estágios mais elevados do processo civilizatório, nesta promissora etapa da trajetória humana, caracterizada pela maior redução da miséria da história. Entre pouco e quase nada disso tem sido divulgado por certa mídia dominada pelo seletismo stalinista, abrindo espaço para que se diga sobre ela, com Joseph Pulitzer (1847-1911): “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma.”

Enquanto em nossos campi vociferam-se palavras de ordem em favor de um único pensamento ideológico, clamando pela superioridade de Cuba et reliqua, a comunidade acadêmica internacional elegeu oito universidades americanas entre as dez melhores do mundo!!! As outras duas são britânicas: 1. Universidade Oxford (Reino Unido); 2. Universidade Stanford (EUA); 3. Universidade Harvard (EUA); 4. Instituto de Tecnologia da Califórnia (EUA); 5. Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA); 6. Universidade de Cambridge (Reino Unido); 7. Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA); 8. Universidade de Yale (EUA); 9. Universidade de Princeton (EUA); 10. Universidade de Chicago (EUA).

Enquanto isso, a direção de nossa UFBA prefere a vanguarda do atraso!

Compartilhe       

 





 

Mais de

 

COLUNISTAS | 25/11/2020 06:30 - Há 1 dia, 19 horas e 45 minutos

Ponto de vista: Leis eleitorais e democracia

Por: Raymundo Pinto


COLUNISTAS | 24/11/2020 11:55 - Há 2 dias, 14 horas e 20 minutos

Ponto de vista: Brasil República

Por: Luiz Holanda


COLUNISTAS | 24/11/2020 06:30 - Há 2 dias, 19 horas e 45 minutos

Artigo: O que as urnas vão dizer sobre 2022 neste domingo

Por: Paulo Roberto Sampaio


COLUNISTAS | 23/11/2020 11:30 - Há 3 dias, 14 horas e 44 minutos

Ponto de vista: Um sábado triste, mas esperançoso

Por: Inaldo Paixão


COLUNISTAS | 23/11/2020 06:30 - Há 3 dias, 19 horas e 45 minutos

Artigo: Todo mundo quer Feira e Conquista

Por: Victor Pinto


COLUNISTAS | 21/11/2020 06:30 - Há 5 dias, 19 horas e 45 minutos

Ponto de vista: Racismo: “ainda bem garoto eu vi a sua face”

Por: Márcio Marinho


COLUNISTAS | 20/11/2020 06:30 - Há 6 dias, 19 horas e 45 minutos

Ponto de vista: Vai ser gauche na vida

Por: Cláudio Pimentel


COLUNISTAS | 19/11/2020 06:30 - Há 7 dias, 19 horas e 45 minutos

Artigo: Eleição mostra que gestões petistas fortaleceram Centrão na Bahia

Por: Raul Monteiro


COLUNISTAS | 18/11/2020 12:15 - Há 8 dias, 14 horas e 0 minutos

Ponto de vista: Andando com as próprias pernas

Por: Adary Oliveira