É hora de salvar os Correios

Por Daniel Almeida*


Tribuna da Bahia, Salvador
25/07/2021 23:17

   

As perdas e prejuízos que o projeto neoliberal e as privatizações propostas pelo governo Bolsonaro apresentaram para o povo e para o Brasil, são devastadoras. No cenário da maldade com os trabalhadores, o governo federal enviou o Projeto de Lei 591/21 sobre a entrada da iniciativa privada nos serviços postais. Há muito tempo tentam desmontar a tricentenária Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). 

Dessa vez, o projeto caminha a passos largos no Congresso e mostra a face escandalosa do governo que pretende, em breve, vender 100% da estatal. Todos elementos racionais apontam para a importância dos Correios para o país. A empresa chega em cada canto, do Norte ao Sul, e nos lugares de menor população e difícil acesso. Também precisamos lembrar que os Correios oferecem serviços como a distribuição das urnas eletrônicas, provas do Enem, serviços que outras empresas não realizam. 

O argumento de que os Correios onera o Estado é mentiroso! Se a privatização vingar, a medida causará impactos negativos na população. Vai enriquecer os mais ricos e maltratar os mais pobres, recrudescendo o isolamento de comunidades que já se encontram em vulnerabilidade social. É um caminho no sentido da exclusão do exercício da cidadania e a desresponsabilização do papel do Estado de promover a integração entre as pessoas. 

A pandemia, que estamos vivendo há mais de dois anos, mudou as práticas de convívio social e o boom da virtualidade aconteceu. Os serviços postais são fundamentais e patrimônio público da nossa nação. Hoje, a empresa atende mais de 5 mil municípios e presta um serviço essencial.

Bolsonaro que implementar o caos e destruição, vide o aumento do desemprego, do preço dos alimentos. Uma política entreguista, que só pensa no sistema financeiro, que põe o mercado acima de tudo. O Ministro da Economia, inclsuive, já deixou claro que está à serviço do grande capital. Para se ter ideia, em 2020, os Correios tiveram lucro líquido de R$ 1,53 bi superando 2019, quando o lucro foi de R$ 102 mi. Vendido, o monopólio dos Correios será quebrado e consequentemente haverá aumento nas tarifas dos serviços prestados para a população. 

É hora de salvar os Correios e defender os empregos dos trabalhadores, através de ampla mobilização popular contra mais esse retrocesso!

* Daniel Almeida é deputado federal PCdoB/BA e vice-líder do PCdoB na Câmara.

Compartilhe