Em Tempo

Por Alex Ferraz


Tribuna da Bahia, Salvador
08/06/2021 18:33

   

CAOS

Prezados leitores, insisto: a situação do transporte coletivo em Salvador, assim como em outras capitais, é totalmente contraditória em relação aos cuidados com a pandemia. Quem duvidar, pesquise em sites sérios de notícia o vídeo mostrando o caos absoluto na Estação Pirajá, na última segunda-feira. Um absurdo. Ninguém explica. E JAMAIS resolverão. Simples assim.

Violência cresce a cada dia na Bahia, notadamente em Salvador e Feira.

No fim de semana retrasado, como se diz em bom baianês, ocorreram 27 assassinatos em Salvador e Região Metropolitana. Número assustador para quem ainda não foi engolido pela "normalidade" forçada pelo noticiário renitente.

É PM matando inocentes, é bala de bandido para todo lado, são assaltos a ônibus, quatro ou mais, por dia. E são facções dominando bairros inteiros.

São fatos que vêm de outros governos, outras décadas, mesmo. Mas que só fazem recrudescer.

Um testemunho claro, óbvio, de que os métodos de "combate" à violência estão completamente errados. Ou estou louco?

Sim, vamos falar de Feira de Santana. Segunda cidade mais violenta da Bahia. Desgovernada. Mortes diárias. Muita bala. E só tende a piorar.

Uma bomba relógio

O Brasil é uma bomba relógio. Vide Manaus, agora, sob o domínio do mal. Lembrem São Paulo, 15 anos atrás, coagida pelo crime organizado, com policiais assassinados aos montes. 

Não existe nenhum projeto

Como ocorre há décadas, atualmente não há nenhum projeto sério, seja da parte do governo central, dos estados ou dos políticos (TODOS) em relação a um combate inteligente à violência, inclusive considerando os fatores sociais.

Até parece que são cúmplices

Ou então, reféns! Ninguém se pronuncia, ninguém age com seriedade, constância e eficácia. Onde estamos, senhores?!

Compartilhe