Em Tempo

Por Alex Ferraz


Tribuna da Bahia, Salvador
14/10/2021 13:33

   

INVERDADE

Nos Estados Unidos, o ministro brasileiro da Economia, Paulo Guedes, afirmou com tranquilidade que o governo brasileiro reduziu a pobreza no país. Esqueceu as filas para comprar, ou receber de graça, ossos de boi; as cada vez maiores filas para receber doações de quentinhas - inclusive em São Paulo - e os números que mostram que as favelas dobraram. Em resumo, Guedes faltou com a verdade. Eu quero é novidade!

"Era isso que eles queriam: mentiras. Mentiras maravilhosas. Era disso que precisavam. As pessoas eram idiotas, seria fácil para mim." (Charles Bukowski, 1920-1994, poeta e escritor norte-americano)

Enquanto lançam cortinas de fumaça, cercam o combate à corrupção.

De um lado, cortinas de fumaça desviando a atenção da parte da população que ainda se preocupa com os rumos do Brasil. Do outro, medidas que minam cada vez o combate à corrupção.
Vamos a mais um exemplo, contra o qual reage o ministro Rogerio Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, em reportagem de Pepita Ortega, no Estadão: a preocupação com a proposta de emenda constitucional que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público, aumentando a influência política no órgão.
" Na avaliação do magistrado, o texto pode ‘fulminar’ o princípio da independência funcional da instituição.
“Posso dizer com a experiência que tive dessa instituição que, sem Ministério Público forte e independente, vamos falir como nação. Porque é graças ao Ministério Público que temos tido enormes avanços – na proteção do consumidor, do meio ambiente, do patrimônio público, das minorias e da cidadania brasileira.” Schietti atuou por 26 anos no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, ocupando inclusive o cargo mais alto da instituição, o de Procurador-Geral de Justiça. E assim caminha a humanidade, neste lado de baixo do Equador.

Por falar em intervenção...

No Rio de Janeiro, todos os cinco hospitais federais estão passando por mudanças determinadas pelo governo central nas suas diretorias.

Entre elas, a nomeação de militares e até mesmo, pasmem, de pessoas que já se manifestaram publicamente CONTRA a vacina.

Mais grana (nossa) para políticos

Está sendo encaminhado nos bastidores das cortinas de fumaça, em Brasília, um projeto que garantirá cerca de R$ 3,4 bilhões em emendas para saciar a eterna fome do legislativo pelo dinheiro público. Os raros críticos dizem que se trata de um autêntico cheque em branco. Quem sobreviver à fila dos ossos, verá.

Pintou sujeira grossa

Não, não vou continuar falando de política. Agora, me refiro ao desprezo pela limpeza e aspecto geral de equipamentos.

Toda vez que a TV mostra a Estação de Embarque do ferry em São Joaquim, nota-se a imensa sujeira acumulada na cobertura do teto, semi-transparente. 

Já na delegacia especializada em assaltos a coletivos, a fachada está em estado deplorável. Pois é...

 

Compartilhe