Em Tempo

Por Alex Ferraz


Tribuna da Bahia, Salvador
20/10/2021 22:16

   

GLOBALIZAÇÃO

A maioria dos comentaristas de economia, na mídia, se desdobra para amenizar a miséria no Brasil (?), justificando que a inflação, inclusive alta nos alimentos, está acontecendo no mundo todo. Tudo bem. Porém, sempre "esquecem" de enfatizar que a realidade social brasileira está muito longe daquela dos países que citam como exemplo. Então, parece fácil dizer a milhões de desempregados e dezenas de milhões que não sabem se terão almoço em casa, que "é assim mesmo." A propósito, já que tudo é dolarizado, por que não cotar em preços internacionais os salários, também. Me engana que eu gosto!

“Razões não ouve quem de fome morre.” (La Fontaine, 1621-1695, poeta e fabulista francês)

Discriminação explícita e odiosa cria casta entre criminosos

Tenho muitos amigos advogados. Respeito a profissão. Assim como respeito também garis, motoboys, carteiros, pedreiros, médicos, enfim, todos aqueles que trabalham honestamente para sobreviver e não cometem crimes.
Necessária a ressalva para dizer que nesse recente episódio do advogado baiano que matou a namorada, fica mais uma vez muito claro que, em muitas profissões, inclusive políticos, o espírito de corpo e as próprias leis comprovam que o criminoso dito comum, normalmente preto e pobre, é alguém condenado à tortura.
Tortura de celas criminosamente superlotadas, escárnio, linchamento social (muitas vezes físico), condenado ao limbo das masmorras às quais o cinismo do poder, em todos os tempos, chama de cárcere.
A OAB tentou até censurar a imprensa, pedindo sigilo para o processo, "para evitar a divulgação pela mídia."
Todos os advogados, militares e outros privilegiados têm direito a uma "prisão digna."
Porém, o que dizer das centenas de milhares de outros presos no Brasil? Também mataram. Também roubaram. Não são santos. Mas como fazem parte de uma classe social inferior, sua tortura na prisão é ignorada, inclusive por OAB e congêneres.
Quem mata é criminoso, sim. Bandido, sim. Político ladrão é bandido. Então, por que privilégios. Ou, melhor perguntando, por que TODOS os criminosos não são bem tratados, como seres humanos?
Aliás, esqueci de falar de certos grandes traficantes também "misteriosamente" tratados como elite nas prisões.

Lá vem a covid, subindo a ladeira...

No Reino Unido, sinal de alerta, ontem. O número de mortes e de contaminados por novas variantes da covid-19 aumentou assustadoramente nas últimas semanas (não tenho espaço para entrar em detalhes. Leiam noticiário, nacional e internacional).
A ponto de o negacionista Boris Johnson admitir que deve reavaliar liberações precipitadas.

Crianças e adolescentes

No caso do Reino Unido, principalmente crianças e adolescentes, após a volta às aulas totalmente liberada (inclusive sem máscaras), são a maior parte das vítimas.
Aqui, em plena campanha eleitoral, governantes anunciam liberação total próxima, para, claro, justificar aglomerações assustadoras em festas de rua.

Perguntinha socrática

Gostaria que prefeitos, secretários de "Saúde", governadores etc. explicassem, com honestidade (é pedir muito?), como centenas de milhares de pessoas embriagadas (nada contra a birita!), manterão máscaras e distanciamento social nas ruas?
Em tempo: o que tem assustado o Reino Unido e Israel, por exemplo, são as novas variantes e sub-variantes do corona original. Vão encarar?

Compartilhe