Ponto de vista: A importante Tribuna do povo

Por Inaldo da Paixão Santos Araújo*


Tribuna da Bahia, Salvador
17/10/2021 21:17

   

Há muito tenho tido o prazer de escrever para “A Tribuna da Bahia”, um dos jornais mais antigos do estado e que sempre representou, e representa, ainda, a Tribuna do povo.
 
Ter a oportunidade de escrever semanalmente em um periódico dessa magnitude é motivo de orgulho e de grande satisfação para mim. É motivo, também, acima de tudo, de agradecimento aos seus diretores e ao seu corpo de jornalistas e editores.
 
Muitos talvez não saibam, mas ceder espaço para que profissionais possam expor o seu pensar, o seu acreditar, nem sempre é tarefa fácil. E a Tribuna da Bahia não mede esforços para continuar permitindo a publicação do nosso livre pensar.
 
Rogo, assim, ao nosso bom Deus para que oriente sempre o pensamento dos nossos dirigentes para que se possa, cada vez mais, ver fortalecida a imprensa livre.
 
Afinal, em tempos trevosos de fake news, nós precisamos ter, cada vez mais, uma imprensa que diga a verdade sem medo de retaliações, sem medo de restrições.
 
Recentemente, por exemplo, vi o Governo querer proibir a publicação de balanços, ou até mesmo de editais, nos jornais de grande circulação. Medidas como essa em nada contribuem para uma imprensa que, de fato, informe.
 
Por isso eu tenho muito orgulho de fazer parte dessa equipe, que, como se subisse à tribuna, escreve na Tribuna da Bahia, diz o que precisa ser dito e faz pensar no que precisa ser pensado.
 
Fico imaginando o quanto seria igualmente bom se tivéssemos um espaço não só na mídia impressa, mas também no rádio e na televisão para que as pessoas pudessem expor aquilo que defendem, aquilo em que acreditam.
 
Esse tipo de espaço, que, por ser democrático, é público e de largo alcance, é, acima de tudo, o reflexo do interesse verdadeiramente social. Por isso precisa ser valorizado e defendido.
 
E se, eventualmente, alguém, em suas posições, incidir em um erro, esse erro deve, igualmente, ser criticado ou, até mesmo, punido nas esferas competentes no âmbito de um duro regime democrático onde se garanta o contraditório e a ampla defesa.
 
Afinal, o mote é que a gente precisa trabalhar e agir no âmbito das quatro linhas da Constituição. E para que isso realmente aconteça e seja verdadeiro, é preciso que os poderes funcionem, de forma independente e harmônica, que os órgãos de controle sejam valorizados e atuem, também, de modo independente, e que o Ministério Público seja atuante, juntamente com uma necessária imprensa livre.
 
Conseguimos tudo isso com muita luta e não podemos deixar que essa conquista se esvaia, se perca ou que venha a se enfraquecer. Ao contrário, a luta continua para que os aliados do bom controle se fortaleçam cada vez mais. E o papel de cada um é fundamental nessa luta.
 
Assim, que a Tribuna da Bahia seja hoje e sempre a importante Tribuna do povo.
 
*Inaldo da Paixão Santos Araújo é mestre em Contabilidade, Conselheiro-corregedor do Tribunal de Contas do Estado, professor, escritor.

Compartilhe       

 





 

Mais de Inaldo da Paixão