Os enigmas de 2021 que 2022 vai ajudar a esclarecer

Por Paulo Roberto Sampaio*


Tribuna da Bahia, Salvador
03/01/2022 21:34

   

O fiasco e os sonhos da dupla Ba-Vi. A verdadeira pesquisa nas urnas. O quê Bolsonaro tem contra as vacinas? A eleição de Neto será uma barbada?

O 2022 que está só começando tem uma responsabilidade grande: tirar um monte de dúvidas que acabaram no travesseiro neste fim de 2021, que não deixou saudades.  Dúvidas, incertezas, enigmas, um pouco de tudo. E como um artigo de 40 linhas é muito pequeno para tantos assuntos, escolhi quatro.

Comecemos pelo futebol e o fiasco da dupla B-Vi e o que resta dessas duas outroras forças do futebol do Nordeste e por que não dizer do Brasil. O Vitória afundou um pouco mais no poço em que já tinha mergulhado há uns 3 anos e só não foi parar no fundo, na série D, porque a queda é escalonada. Se tem forças para ressurgir é uma interrogação, mas enquanto seus dirigentes continuarem batendo cabeça, acho difícil.
O Bahia parece ter se mirado no rival baiano e fez uma campanha digna de um timeco de segunda divisão, mas o que mais choca é ver o time ser dissolvido como leite em pó instantâneo, aliás com uma instantaneidade impressionante. Da boa equipe que chegou a animar a torcida nada restou. Nino foi embora, Luis Otávio está quase, Conti foi embora, Juninho Capixaba foi embora e Matheus Bahia está de malas prontas. O resto do time pegou o primeiro avião, incluindo no voo do adeus o veloz Rossi e o goleador Gilberto. Como seguir associado e bancando um bando de pernas de pau de segunda ou terceira categoria. Acho que o presidente Bellintani tem o maior  desafio de sua vida de gestor e a torcida não vai perdoá-lo jamais se o time não subir.
Deixo o futebol para trás e mergulho na política e nas pesquisas eleitorais. Não sou do time que só acredita nas ditas quando resultado é favorável, até porque, ao menos no campo nacional, não está em jogo o melhor, mas o pior. Ainda assim, custo a acreditar que Lula tenha essa vantagem toda que os institutos apontam, querendo colar na testa do eleitor um adesivo de desmemoriado. Aguardemos, pois, na esperança de que a tão falada terceira via emplaque. 
E já que estamos falando de pesquisa política, cá estamos nós no campo local, onde ACM Neto parece nadar de braçadas rumo a praia de Ondina. Os números lhe são amplamente favoráveis e devem ser ampliados nos próximos 60 dias, a menos que Rui consiga esclarecer o enigma da chapa governista, incluindo nesse pacote o rumo que tomará. 
Esperar Lula chegar a Salvador e colocar Wagner nas costas até o palácio de Ondina é uma tarefa um tanto quanto difícil para quem deve se preparar para um bombardeio que o aguarda e que tende a minar essa aparente tranquilidade que habita.  
Por fim, uma dúvida que me atormenta e, por favor, sem qualquer viés político: o que leva Bolsonaro a seguir contrário a vacinação contra a Covid. Com vacina, segunda e terceira doses o vírus segue tirando o sono e a paz do mundo - Europa e Estados Unidos que o digam - por que insistir nesta cruzada que só o desgasta?
Vejo que oito a nove entre 10 bolsonaristas já se vacinaram e não foi só uma dosezinha não. Já tomaram a segunda, a terceira e assim que liberarem a quarta, estarão na fila sem pestanejar, afinal estamos falando de salvar vidas. Seguem bolsonaristas, mas de corpo fechado pela ciência ou pretensamente um pouco mais fechado porque 100% ninguém está.

*Paulo Roberto Sampaio é diretor de Redação da Tribuna.

Compartilhe       

 





 

Mais de Paulo Roberto Sampaio