De olho em 2022, defesa é o principal desafio de Tite na renovação da Seleção

Tirando o goleiro Alisson, os quatro titulares da última Copa do Mundo terão entre 33 e 38 anos no Catar. Setor ofensivo surge com mais opções óbvias neste início de ciclo


Tribuna da Bahia, Salvador
10/09/2018 15:12 | Atualizado há 10 dias, 9 horas e 59 minutos

   
Foto: Pedro Martins / MoWA Press

A defesa foi o principal destaque do Brasil na última Copa do Mundo. Mas surge como principal desafio de Tite para renovar a Seleção ao longo do ciclo de trabalho até 2022. Enquanto do meio para a frente pelo menos quatro nomes surgem como prováveis para formarem a espinha dorsal no Catar (Casemiro, Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus), na defesa a situação é diferente.

O Brasil enfrenta El Salvador na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), em Washington. A TV Globo, o SporTV e o GloboEsporte.com transmitem o jogo. O site também acompanha em Tempo Real.

Tirando o goleiro Alisson, os outros quatro titulares da linha defensiva na Rússia (Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo) terão entre 33 e 38 anos no próximo Mundial. Daniel Alves, que seria o lateral direito titular antes de se lesionar, terá 39.

As novas opções surgem em abundância mais no setor ofensivo, como os já convocados Pedro (cortado por lesão), Richarlison, Éverton, Paquetá, entre os zagueiros a única exceção atualmente é Marquinhos, atualmente com 24 anos e boas chances de estar no Catar. Dedé e Felipe, convocados por Tite pela primeira vez, já estão na casa dos 30. Rodrigo Caio e Jemerson, nomes mais jovens que já foram chamados pelo treinador, precisam recuperar espaço.

- Os zagueiros que aqui estão, por mais que já estejam perto ou acima dos 30, são importantes para dar o suporte aos que chegam. A parte defensiva normalmente é mais experiente. No ataque sempre surge um cara novo. Mbappé é referência com 19 anos.

''Essa reformulação teoricamente começa pela frente. Atrás temos que dar o suporte e o caminho para eles'', frisou Thiago Silva, que terá 38 anos na próxima Copa.

Na lateral, a situação não é diferente. A atual convocação não apresentou novidades na esquerda. Filipe Luis terá 37 anos no Catar. Já Alex Sandro, que chegará no Mundial com 31, aparece como um nome com mais chance de ganhar espaço ao longo do ciclo. Isso sem falar que Marcelo ainda pode estar em alto nível quando tiver 34 anos.

- Deve ter sido difícil para o Tite deixar o Alex Sandro fora da Copa. Ele merecia assim como eu e Marcelo. Mas temos bons jogadores surgindo como o Wendel, o Alex Teles... É difícil falar nomes porque vou esquecer alguém. Acompanho menos a lateral direita, mas temos vários jogadores atuando na Europa e preparados para estarem aqui - disse Filipe Luís.

''Não devemos julgar um jogador pela idade e sim pelo momento. Se estiver entre os melhores com 38 anos, como o Daniel estava com 35, porque não pode jogar?''

Na direita, o panorama é parecido, mas a busca pela renovação já começou. Fabinho (que atua como volante no Liverpool, mas fez a base como lateral) foi titular contra os Estados Unidos. Tem 24 anos. A outra opção na convocação atual é Éder Militão, de 20. Dos que foram ao Mundial, Danilo é da mesma geração de Alex Sandro e terá 31 anos no Catar. Já Fagner terá 33.

A tendência é que Tite faça uma renovação gradativa no setor defensivo, principalmente após a Copa América de 2019. Do GE.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas