Site pode ajudar a reduzir número de indecisos

Na Bahia, brancos e nulos somam 13% das intenções de voto, e os indecisos, 11%


Tribuna da Bahia, Salvador
02/10/2018 08:27 | Atualizado há 18 dias, 17 horas e 47 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Henrique Brinco

Na reta final da eleição, o número de eleitores que não sabem quais candidatos irão escolher na urna eletrônica ainda é grande. Segundo o último levantamento Ibope na Bahia, o número de votos brancos e nulos somam 13% das intenções totais de voto. Não sabem somam 11%. Em 2018, os cidadãos de todo o país contam com a plataforma "Bússola Eleitoral" para facilitar a escolha nas eleições proporcionais para Deputados Federais, Estaduais e Distritais.  Após responder um questionário, a plataforma apresenta um mapa dinâmico e calibrável, em que o cidadão poderá ver as candidaturas que mais se aproximam dos seus valores e prioridades. "A Bússola se iniciou da vontade de um grupo de pessoas que já trabalhavam no setor privado e público que já tinham uma relação com o fazer político. Veio, então, a necessidade de reunir informações sobre as eleições", explica à Tribuna um dos fundadores da plataforma, Dario Joffily.

A equipe desenvolveu uma metodologia própria em parceria com o Ibope Inteligência e também com o apoio de instituições como CLP, ITS Rio, Politize e Voto Consciente. No total, são 36 perguntas divididas em blocos com 12 questões, nos quais eleitores e candidaturas se posicionam declarando sua concordância com a frase colocada e a importância daquele tema para si. Todos os partidos foram convidados a participar da iniciativa e todas as candidaturas recebem, diariamente, um reforço do convite para adentrar a plataforma. Qualquer eleitor pode explorar o mapa e visualizar todas as candidaturas inscritas e não há limites para esta visualização, nem qualquer direcionamento de critério ideológico. 

Segundo os desenvolvedores, "o eleitor é livre para navegar e conhecer tanto candidaturas cujas opiniões são iguais às dele, como também saber mais sobre aquelas com as quais discorda". A ideia é que o eleitor seja sempre o centro do mapa, como referencial visual e político da plataforma, além de ter total controle sobre os parâmetros de navegação. O também idealizador da plataforma, Luis Kimaid, destaca que a Bússola Eleitoral dá ao eleitor ferramentas para que sua escolha nas eleições seja qualificada e bem informada. “Não realizamos matches, promovemos empoderamento através da informação. O poder da ferramenta está em reconhecer o poder do eleitor: é ao oferecer informações organizadas e acessíveis que reconhecemos e incentivamos a escolha mais consciente”, afirma.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas