Valdemir Santana - Edição do dia 6/12

Unesco dá diploma de “Memória do Mundo” a secular confraria negra da Bahia


Tribuna da Bahia, Salvador
06/12/2018 12:04 | Atualizado há 16 dias, 15 horas e 43 minutos

   
Foto: Montagem/Reprodução

Uma das mais singulares organizações civis de homens negros do mundo, a “Sociedade Protetora dos Desvalidos”, criada em Salvador há mais de duzentos anos, no início do Império brasileiro, ganha oficialmente destaque internacional com o reconhecimento de patrimônio da humanidade pela “Unesco”. É o diploma de aceitação no “Programa Memória do Mundo da Unesco”, “Memory of the World – MoW" no titulo original em inglês, entregue na quarta feira, 12, no Rio de Janeiro.

A entidade responsável pelo certificado é o “Comitê Nacional do Brasil” do Programa Memória do Mundo da “Unesco”. Ela tem Adauto Candido Soares ( foto no destaque) como coordenador de Comunicação e informação. O local da entrega do diploma é o “Instituto Histórico e Cultural da Aeronáutica”, na  Praça Marechal Âncora, Rio de Janeiro. Para o resultado, foram dez candidaturas aprovadas, entre 29 apresentadas de todo o país, e avaliadas em reunião dos dias 16 e 17 de outubro, no “Arquivo Nacional” também no Rio de Janeiro.

O material aprovado da entidade baiana é descrita como “Relíquia da Irmandade Devoção de Nossa Senhora da Solidade dos Desvalidos, Actas 1832-1847. Apresentada pela Sociedade Protectora dos Desvalidos”. A confraria baiana foi criada em 1832, após reuniões preparatórias entre um grupo de dezoito homens negros, liderados pelo africano livre Manoel Victor Serra. Até hoje está em atividade com sede na “Praça XV de Novembro”, Terreiro de Jesus, Centro histórico de Salvador.

Baco Exu do Blues sacode a crítica baiana e vai brilhar no Rio de Janeiro 

Uma saraivada de elogios e criticas faz a glória de um dos mais irreverentes artistas baianos do momento, o cantor e compositor Diogo Ferreira Moncovo. É tudo tão intenso que confere a Baco Exu do Blues, nome artístico do músico, o titulo de icone da cena urbana no Brasil. Ele está longe de Salvador, onde nasceu, pois mora em São Paulo,  mas, escolheu o Rio de Janeiro, no “Circo Voador” dia 11 de janeiro, para o show de lançamento do novo e badalado segundo álbum, o “Blvsman”, lançado em novembro.

Quando o álbum “Blvsman” chegou às plataformas sociais, nem tudo foi aquele alvoroço que os fãs costumam fazer endiabrados pelo talento musical do rapaz.  Uma critica contundente saiu de Salvador, pelo site “Oganpazan". Classificou de “Black fraude do ano", por achar que era uma produção voltadas para os hipsters de plantão.

Icone da cena gastrô, a chef Dadá faz mingau gourmet com grife poderosa  

A cozinha gourmet e popular da Bahia já correu céus e terras quando a restauratrice Aldaci dos Santos, a badalada chef Dadá, assinou cardápios para companhias de aviação, cassinos das rivieras européias, e claro, muitos endereços chiques pelo Brasil a fora. A novidade agora é que a simpática cozinheira assina receitas especiais de mingau à base de aveia que já estão inclusive no cardápio do restaurante “Sorriso da Dadá", de Salvador, embora o “Festival do Mingau Quaker” comece no domingo, dia nove.

Isto mesmo, o festival com pegada vegana tem o respaldo da gigante norte-americano “Quaker” que comanda um império de produção de aveia, e já agradou uma turma enorme do Jet setters quando aconteceu em São Paulo e principalmente no balneário Troncoso, do Sul da Bahia. A primeira edição baiana teve assinatura de Morena Leite, outra chef de fama internacional com fortes ligações com o estado 

Quando ‘Lollapalooza” chegar ao Brasil, Caetano já volta com os aplausos

Caetano Veloso e os filhos Zeca, Tom e Moreno que estão em cartaz com a turnê “Oratório", ficam de fora do programa brasileiro do “Lollapalooza”. Considerado um dos maiores e mais badalados festivais de música alternativa do mundo, o evento acontece entre os dias cinco a sete de abril, em São Paulo, com poucos artistas brasileiros. É exatamente quando os Velosos fazem shows nos Estados Unidos.

Mas atenção, a dinastia artística que une pai baiano e filhos cariocas e baiano, está fora apenas da programação brasileira. Bem antes de acontecer no Brasil, a “Lollapalooza” esbanja charme com a versão argentina, em Buenos Aires, que acontece em março.  A inclusão de “Ofertório”naquele país foi confirmada ontem, pelo site da “Uns Produções”, empresa que cuida da carreira do grupo e é dirigida pela atriz Paula Mafra Lavigne, mulher de Caetano e mãe de Zeca Lavigne Veloso e Tom Lavigne Veloso.

Noite musical pós vanguarda na festa do “Vila Velha” 

A noite vai ser boa, e nada convencional, para a abertura do “CMC Festival" o “Ciclo de Música Contemporânea” na quarta, 12, no icônico “Teatro Vila Velha”’ aquele espaço que sempre jogou paus e pedras no conservadorismo e autoritarismo de plantão. O festival reúne artistas do Brasil, França, Estados Unidos, Suíça, Tunísia e África do Sul e tem programãção também no “Goethe Institut’ como a coluna já divulgou.

Mas o que tem de especial na noite de abertura é a festa “Baile Black Rock Bahia", embalo que o melhor conselho é esquecer esta historia de vanguarda. Afinal quem assina a noite é o musico João Millet Meirelles, ele é o que se chama de pós-vanguarda. Vanguardistas são os atores Maria Eugenia Millet e Marcio Meirelles pais de  João que divide o trabalho com o músico Bruno Abdala. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas