Alerta: Bahia teve quase 4.800 casos de tuberculose em 2018

No Brasil foram registrados mais de 72 mil casos, segundo o Ministério da Saúde


Tribuna da Bahia, Salvador
15/04/2019 11:36 | Atualizado há 8 dias, 2 horas e 41 minutos

   

Por Yuri Abreu

Doença grave, causada pelo bacilo de Koch, transmitida por meio das gotas da secreção respiratória, que se propagam pelo ar, a tuberculose foi a principal causa de morte na Europa e Estados Unidos até o início do século XX. Mas, mesmo nos dias de hoje, ela continua sendo considerado um problema de saúde pública, seja no Brasil ou em outros países industrializados.

De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), foram registrados mais de 72 mil casos de tuberculose em todo o país no ano passado. E, se não tratada da forma correta, pode levar a morte. E a média anual neste caso preocupa. De acordo com a pasta, a doença ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas em todo o país. Em nível mundial, conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), 10,4 milhões de pessoas adoeceram de tuberculose no mundo, e cerca de 1,3 milhões de pessoas morreram em decorrência da doença, no ano de 2016.

Aqui na Bahia, de acordo com a Secretaria de Saúde (Sesab), em 2018 foram registrados 4.750 novos casos da doença. Desses, 295 foram a óbito. Dentro do mesmo período, a capital baiana registrou 1.561 casos e 75 mortes. Neste ano, 2019, o órgão informou que, até o início do mês de março, 489 pessoas contraíram a tuberculose, sendo 21 óbitos no estado. Em Salvador, o número de casos foi a 155, com sete mortes. 

Ainda de acordo com a secretaria, a tuberculose está entre as doenças infecciosas que mais mata no Brasil e o estado da Bahia ocupa o 3º lugar com maior carga da doença no país. No geral, são 4.500 casos diagnosticados anualmente. O problema é que pouco mais de seis em cada dez pessoas são curadas. Por outro lado, 6,1% dos pacientes acabam abandonando o tratamento, o que acaba representando um risco a própria vida.

Tratamento

A tuberculose pode atingir órgãos como ossos e rins, mas tem como principal alvo os pulmões. Entre os sintomas os quais o paciente deve ficar atento estão: tosse por um período prolongado (três a quatro semanas), febre, suor noturno, falta de apetite, emagrecimento, cansaço fácil, dor no peito e escarro, que pode ser acompanhado de sangue. Trata-se de uma enfermidade com de transmissão aérea e ocorre a partir da inalação de aerossóis oriundos das vias aéreas, durante a fala, espirro ou tosse das pessoas com tuberculose ativa.

De acordo com a Sesab, o tratamento da tuberculose dura no mínimo seis meses e é gratuito, sendo disponibilizado no Sistema Único de Saúde (SUS). Ele deve ser realizado, preferencialmente em regime de Tratamento Diretamente Observado (TDO). Com o início da terapia, a transmissão tende a diminuir gradativamente e, em geral, após 15 dias, ela encontra-se muito reduzida. Em Salvador, um dos principais centros de tratamento da tuberculose é o Instituto Brasileiro para Investigação da Tuberculose (IBIT), que fica no bairro da Federação.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas