PT começa a discutir projeto para disputar prefeitura de Salvador

Gilmar Santiago defendeu que o PT discuta projetos voltados para políticas públicas em áreas como educação e saúde


Tribuna da Bahia, Salvador
18/04/2019 07:08 | Atualizado há 2 dias, 19 horas e 5 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Henrique Brinco

Em reunião realizada pela Executiva Ampliada do PT com os Presidentes das 20 zonais distribuídas por toda Salvador, mais os pré-candidatos a vereadoras e vereadores do partido, foi discutido na última terça-feira a metodologia para construção de um programa que possa servir de eixo para disputa da prefeitura no ano que vem.

“A ideia é que já no mês de maio vamos correr a cidade em caravanas para dialogar com a população e não só identificar as queixas sobre as precariedades das políticas públicas de saúde, educação,  infraestrutura e ausência de ações para combater o desemprego, como pensar em propostas que levem em conta as potencialidades de cada território, principalmente com o legado construído pelas políticas estruturantes realizadas pelo governo do estado em Salvador, a exemplo do metrô, grandes obras de mobilidade e grandes intervenções como as obras de infraestrutura e encostas”, disse à Tribuna o presidente municipal do PT, Gilmar Santiago.  

"Essa reunião não foi para discutir nomes para 2020. Até porque, vários nomes se colocaram à disposição do partido: Nelson Pellegrino, Robinson Almeida, Jorge Solla, Valmir Assunção... Então, essa reunião de ontem serviu para que a gente possa organizar uma série de debates de um programa para a cidade. Vamos nos debruçar agora na discussão desse projeto. A gente quer percorrer a cidade em caravanas, pelas zonais, mobilizando a militância, ouvindo a sociedade. Queremos fazer isso a partir já de maio para elaborar uma proposta, avaliando o que está sendo feito", afirmou.

Também será tema dos debates “o racismo estrutural que marginaliza e violenta a juventude negra e as mulheres parcela majoritária em Salvador”. "Estamos também organizando a chapa de vereadores e vereadoras, porque no ano que vem não tem mais coligação e o partido terá que ter pelo menos 65 candidatos. Então, estamos preparando o partido para o ano que vem. A gente deseja gerir a cidade, mas para isso queremos apresentar um programa".

Nos bastidores, comenta-se que Rui Costa argumenta que o PT não deve lançar candidato em 2020. O governador defenderia a tese de que a legenda, ao abrir mão do pleito municipal, teria argumentos mais relevantes para bancar uma candidatura majoritária em 2022 na corrida pelo Palácio de Ondina. Santiago, no entanto, nega essa versão. "Em nenhum momento o governador fez qualquer tipo de colocação para o partido. O que ele tem falado é que, nesse momento, a gente tem que discutir projetos, programas. Essa fala dele não tem nenhuma divergência com o PT. Também concordamos que é fundamental discutir programa. Ao mesmo tempo, os nomes já se colocaram".

Além da decisão de lançar ou não um nome em 2020, o PT deverá decidir nos próximos meses quem será o novo presidente nas esferas municipal, estadual e nacional. As eleições municipais acontecem no dia 8 de setembro, com eleição de delegados para congressos estaduais e com eleições de delegados para o congresso nacional. Já as estaduais acontecem no congresso marcado para os dias 19 e 20 de outubro. Na esfera estadual, já colocaram seus nomes disponíveis os petistas Éden Valadares, Martiniano Costa e Ivan Alex. Já na esfera municipal, Gilmar Santiago deve tentar a reeleição - mas também existe um movimento pela candidatura do ex-vereador Arnando Lessa. Oficialmente, Santiago afirma que não tomou uma decisão.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas