Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 8/6

Produtor alemão convence Tom Zé a voltar à Europa e o baiano brilha em festival que foge do mainstream


Tribuna da Bahia, Salvador
08/06/2019 09:47 | Atualizado há 10 dias, 5 horas e 41 minutos

   
Foto: Reprodução

Ícone da contracultura brasileira como um dos lideres do tropicalismo, o baiano Tom Zé (foto) não pensava mais em cantar na Europa, até que veio o apelo irrecusável do produtor Tim Isfort. É o diretor artístico do rebelde “Festival de Moers” que começou ontem, na Alemanha. O apelo que usou para convencer Tom Zé a ser a estrela da programação neste domingo,9, foi a rebeldia do evento criado em um castelo alemão no inicio dos anos 1970.

A rebeldia do “Festival de Moers” é traduzida na independência musical. Nada de mainstream. As apresentações incluem apenas as estrelas do “Improvisation”, “NewJazz”,” World”, “Avantgarde”, “Electro” e “Minimal Music”. Feliz em conseguir convencer Tom Zé, Sfort deu entrevista na mídia paulistana. “Na verdade, aos 82 anos, ele não queria mais viajar para a Europa. Mas nós conseguimos”, comemorou o alemão na semana passada.

A argentina que agita a cena cool com um trombone e muito talento

Com um trombone na mão e uma turma de rebeldes que sabe de cor a trilha do underground para as tribos cool, a cantora e compositora argentina Pali Style alucina a cena indie de Salvador. Neste domingo, 9, ela se sente em casa incendiando o “Mercadão Colaborativo” da Rua Guedes Cabral, no Rio Vermelho. É o endereço onde funcionou o “Idearium”, aquele inferninho maravilhoso que colocava todos os pirralhos no caminho do rock.

Pali Style é a convidada de mais uma apresentação domingueira da pulsante “Sonora Amaralina” a orquestra que traz a rebeldia da Cumbia colombiana para a Bahia. A artista se mudou para a cidade em 2013, interessada em pesquisar o show business da diáspora jamaicana em Salvador. Não desgruda de seu trombone, um dos instrumentos mágicos da musica universal com historia de mais de seis séculos.

Massa com pegada cosmopolita para namorados chiques

Para se tornarem estrelas da gastronomia mundial os italianos fizeram muito mais que pegar o macarrão inventado na China e lambuzar com molhos de tomate escaldante. Uma prova é deste requinte está no cardápio que o “La Pasta Giala” preparou para a terça, 11, dia dos namorados. Tem Ravioli de mozzarela ao molho pomodoro ou branco; risotto de camarão e alho poró e até Medalhão de mignon grelhado com molho rôti e tagliatelle ao grana padano.

São sutilezas e tentações de uma casa criada pelo mestre Sergio Arno, e comandada em Salvador pelo cunhado e sócio dele, o empresário Marcelo Reis. A casa funciona na Rua São Paulo, no chamado quadrilátero de ouro da Pituba.

Papo cultural sobre livros de artistas

O brilho das artes está antes de tudo na emoção. E logo depois no conceito que vale a pena conhecer através dos livros especiais. E justamente uma conversa sobre os livros de artista no contexto das feiras de arte internacionais que acontece hoje na vanguardista galeria “RV Cultura e Arte”, do Rio Vermelho. Criada pelo casal Larissa Martina e Ilan Iglesias, a galeria faz o convite pelas redes sociais. “Se você publica livros de artista ou quer publicar, seja artista ou editor, ou se é colecionador e quer entender como é que o mercado funciona, vem trocar uma idéia com a gente’ diz o texto.

Os dois vão falar de experiências recente na ”Arts Libris” da “ARCOlisboa” e comentar sobre a cena portuguesa para as publicações.

O fascínio do “Bauhaus” na mostra de cinema europeu

A “Semana da Europa” comemora 15 anos de realizações e agita a cena cultural de Salvador a partir da terça, 11, com a “Mostra de Cinema Europeu”, incluindo desta vez o tema “Olhares para o futuro”, com seleção de seis filmes da Suécia, Espanha, Irlanda, França, Dinamarca e Alemanha. A realização é da Associação dos Institutos Culturais, Embaixadas e Consulados de Países Membros da União Européia, e Delegação da União Européia no Brasil.

Em Salvador as atividades acontecem na “Saladearte Cinema do Museu” e têm parceria entre o “Goethe-Institut”, a “Aliança Francesa” e o “Instituto Cervantes”. Na mostra vale a curiosidade sobre o filme “A construção do futuro – 100 anos da Bauhaus”, de Niels Bolbrinker e Thomas Tielsch, sobre o estilo que mudou para sempre a arquitetura moderna.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas