Roger valoriza empate fora de casa após atuação “mediana” do Bahia

Bahia empatou sem gols com o Ceará e amplia período de invencibilidade para seis partidas


Tribuna da Bahia, Salvador
09/06/2019 09:58 | Atualizado há 17 dias, 7 horas e 36 minutos

   
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Pela segunda partida seguida fora de casa no Campeonato Brasileiro, o Bahia não marcou gols, mas também não levou. Depois do São Paulo, a equipe de Roger Machado empatou em 0 a 0 com o Ceará, em partida disputada na noite deste sábado, na Arena Castelão.

A atuação não deixou Roger Machado satisfeito, porém o resultado foi importante. Na opinião do treinador, o Tricolor fez uma partida mediana, mas valorizou o ponto conquistado.

"A gente sabia que o Ceará, jogando dentro dos seus domínios, ia procurar nos enfrentar de uma maneira mais franca. A gente custou um pouco a entender o tipo de jogo que deveria praticar, com a pressão do adversário e nossos erros de passe, oferecemos muito a bola para o Ceará. Nos momentos em que conseguimos acessar o lado de campo, em função do fechamento de meio, e os cruzamentos para o Fernandão, foi quando criamos dificuldade para o adversário. No segundo tempo, o panorama foi mais equilibrado. Talvez as principais oportunidades fossem nossas, tocamos a bola no poste no primeiro e no segundo tempo, profundidade em diagonais, principalmente depois da entrada do Rogério, que nos daria a oportunidade de sair com um resultado mais favorável. Um ponto importante fora de casa. Foi uma partida mediana, mas com um resultado importante" afirmou o treinador.

"O empate foi justo pelo que a gente apresentou. Foi um pouco abaixo dos outros jogos, mas tenho que valorizar o esforço do nosso time e o entendimento do jogo que deveria ser jogado", disse Roger Machado.

Antes da parada para a Copa América, o Bahia tem apenas um jogo, contra o Internacional, novamente fora de casa. Embora entenda a necessidade da pausa para o descanso dos atletas, Roger afirmou que, se pudesse escolher, sua equipe continuaria jogando.

"Se eu pudesse escolher, eu não gostaria de parar para a Copa América, porque a gente vive um momento muito bom. E a gente sabe que, muitas vezes, os dez dias de recesso e os 30 de treinamento, por vezes, podem tirar o time do prumo. Mas é importante salientar que quarta-feira chegaremos a 40 jogos no ano, na metade da temporada. É um absurdo. O desgaste é muito grande. Os atletas não têm muito tempo para descansar. Infelizmente, interessa a parada para um lado, para poder descansar" disse.

O treinador também falou sobre o bom início de campeonato do Bahia, que chegou à 3ª posição, mas ainda pode cair algumas casas no decorrer da rodada.

"Ainda tem a rodada para terminar. Mas a gente pode voltar para quinto. É início de campeonato. Estamos otimistas, mas temos o pé no chão, sabendo que enfrentamos grandes equipes, que vão brigar na parte de cima. Nós nos credenciamos a estar nesse bolo. Temos que ter a humildade de vir na casa do Ceará, reconhecer as virtudes, batalhar pelos espaços. Quando foi possível jogar o nosso jogo apoiado, jogamos. Quando não foi possível, entendemos o que o jogo pedia. Saímos com um ponto importante daqui. A terceira colocação é pelo mérito do trabalho. Acho que nós levamos um ponto importante. O Ceará fez um belo jogo. Não tenho dúvida de que, aqui dentro, vai tirar ponto de muita gente. O estádio é forte, a torcida é vibrante, o time está bem treinado. O gramado que acaba prejudicando os dois times. Os jogadores todos reclamaram, mesmo colocando as travas mais altas. É um ponto conquistado diante de uma equipe que vai dar muito trabalho" falou.

A partida contra o Inter está marcada para quarta-feira, às 21h30 (horário de Brasília), no Beira-Rio.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas