Salvador ficará sem transporte público na sexta-feira (14)

Ônibus, metrô e trens vão parar devido à greve geral contra a reforma da previdência


Tribuna da Bahia, Salvador
12/06/2019 10:34 | Atualizado há 10 dias, 11 horas e 54 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus

Por Rayllanna Lima

O transporte na capital baiana e no interior do estado estará comprometido nesta sexta-feira (14), quando será realizada uma paralisação nacional contra o projeto da reforma da Previdência apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro. Diversas categorias aderiram à convocação das centrais sindicais em todo o Brasil, entre elas os rodoviários e os funcionários dos sistemas metroviário e ferroviário. 

No transporte, a última categoria a confirmar a participação na greve geral foi dos rodoviários, que realizaram assembleia na tarde de terça-feira (11). “Aprovamos por unanimidade, portanto não vai rodar ônibus em Salvador, nem nas cidades do interior", garantiu o vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Fábio Primo.

A reportagem entrou em contato com o secretário municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Fábio Mota, para saber se a Prefeitura trabalha com alguma estratégia para garantir o transporte. Contudo, ele limitou-se a dizer que ainda não havia sido informado sobre a paralisação.Em Salvador e Região Metropolitana, serão mais de 21 mil rodoviários de braços cruzados.

A adesão dos trabalhadores da CCR Metrô Bahia - administradora do metrô - ao movimento, segundo o Sindiferro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Ferroviário e Metroviário dos Estados da Bahia e Sergipe) foi definida desde o mês de maio, quando foi realizada assembleia e a categoria votou a favor da greve geral. 

Não haverá também o funcionamento dos trens no Subúrbio. Em nota, os trabalhadores informaram que a pauta de reivindicações vai além da reforma da Previdência. "Em defesa da educação, contra cortes de verbas, pela aposentadoria e por mais empregos, trabalhadores e trabalhadoras, responsáveis por operar os trens do Subúrbio irão 'cruzar os braços' em adesão à greve geral", informaram em nota os trabalhadores.

Em comunicado enviado à imprensa, a administradora do transporte metroviário de Salvador e Região Metropolitana disse ter sido informada da greve na última segunda (10), mas que "tomará as medidas legais cabíveis para continuidade do serviço", sinalizando ainda que há uma reunião marcada com os trabalhadores no dia 19 de junho, esta para debater o Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020. 

“A concessionária ressalta ainda seu compromisso com a população como sempre aconteceu nestes primeiros 5 anos de operação ininterrupta e tomará as medidas legais cabíveis para a continuidade do serviço público essencial de alta qualidade", disse a CCR.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas