Nova Previdência deixa setor imobiliário otimista

Evento da Ademi discutiu a importância do crédito imobiliário para o aquecimento do setor


Tribuna da Bahia, Salvador
12/07/2019 10:43 | Atualizado há 11 dias, 10 horas e 50 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus

Por Licio Ferreira

A aprovação, em primeiro turno, do texto-base da proposta de Reforma da Previdência, na noite desta última quarta-feira 10, fez florescer entre os membros da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-Ba), um  clima de total euforia. O grupo vislumbra  um novo ciclo de conquistas para o setor e parece que como num passe de mágica – não houve nenhuma previsão deste fato – ocorreu, na manhã desta quinta-feira 11, mais uma edição do evento: “Ademi em Pauta”. 

Voltado para dirigentes e representantes das incorporadoras associadas, o “Ademi em Pauta” discutiu a importância do crédito imobiliário para o aquecimento do setor durante todo o dia. Diferentes bancos ofereceram aos associados financiamento, linhas de crédito e taxas de juros tentadoras. Além disso, esses agentes de crédito fizeram questão também de apresentar as  perspectivas e as novidades para o mercado. 

Realizado na própria sede da instituição, no bairro do Caminho das Árvores, em Salvador, o evento da Ademi-Ba foi um sucesso. “Trouxemos para conversar e debater com nossos associados, as principais financeiras, que trabalham com crédito imobiliário no País e outras que estavam ausentes e agora estão retornando, nesse momento em que o Brasil retoma os seus rumos na economia”, informou o presidente Cláudio Cunha. 

Pronto e preparado 

“Nosso setor está pronto e preparado para crescer com novos projetos. Vamos alinhar, com prazer, os bancos que são detentores do crédito e os nossos associados com os seus projetos, aproveitando esta boa sinergia que está no ar. Estamos juntando o setor produtivo, com o que vai trazer o crédito, para que possamos voltar a produzir de forma célere e acessível,  não só para os construtores quanto para os compradores dos imóveis”, antecipa o presidente da Ademi-Ba.  

Segundo Cláudio Cunha, a perspectiva, de momento, para o setor imobiliário baiano é muito boa. “Estamos otimistas  e o mercado está pronto para crescer. Os investimentos estão para serem colocados e o pais, a partir das reformas, terá condições de honrar com seus compromissos. Afinal, para investir, os empresários precisam se sentir seguros e o consumidor precisa ter a confiança de adquirir um imóvel, que exige financiamentos de longo prazo“, justifica. 

Projetos em breve

O dirigente da Ademi-Ba, Claudio Cunha garantiu que, entre os seus associados existem mais de 20 projetos, que serão colocados, muito em breve, para serem comercializados neste segundo semestre do ano. “Com certeza, no próximo ano começaremos com mais força e vitalidade. Terminamos o primeiro semestre do ano como o Brasil, ou seja, na expectativa da aprovação da reforma da Previdência e de uma estabilidade política. Não tivemos nenhum lançamento. Vendemos, apenas, as unidades já produzidas. As vendas, por sua vez, ficaram um pouco abaixo do primeiro trimestre de 2018”.

Sobre o fato dos bancos estarem – de novo - voltando seus olhos para o setor imobiliário, Claudio Cunha foi taxativo: “Eles, como um todo, enxergam o mercado imobiliário como sendo uma grande oportunidade de negócios. Não só para fazer o negocio dele, que é emprestar os recursos disponíveis, mas, também, para se aproximar do comprador de imóvel e aumentar a relação de empresa e consumidor”.  

Nova diretriz 

Elogiou a Caixa Econômica Federal (CEF) que apresentou uma nova diretriz, principalmente, a de aumentar a sua participação nas linhas de credito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), quanto nas novas linhas de financiamentos, com redução das taxas de juros. E, por ser o maior agente para o mercado de incorporação imobiliária, vai fazer com que, especialmente os bancos privados reduzam as suas taxas de juros para que fiquem mais acessíveis ao comprador de imóveis.  

O gerente regional da Construção Civil da Caixa, Ricardo Lara Machado  aproveitou do evento para comemorar os 70 % que o banco tem de ‘market share’ - grau de participação de uma empresa no mercado em termos das vendas de um determinado produto - e anunciou: “A Caixa tomou recentes medidas de redução de taxas de juros; de aumento de quotas de financiamentos  com o firme propósito de alavancar mais contratação de empreendimentos e mais de financiamentos no setor”.

Segundo ele, a Caixa acredita no impacto positivo que esta decisão traz para aquecer nossa economia e também o banco. “Voltamos  a financiar imóveis comerciais e esperamos consolidar ainda, neste semestre, a nossa liderança. .Como maior financiadora do mercado brasileiro de habitações, certamente a Caixa estará presnte para fazer parte deste novo ciclo do credito imobiliário”, finaliza Ricardo Lara Medrado.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas