Maia diz que Rui tentou ajudar na reforma, mas esbarrou no PT

Rodrigo Maia desembarcou em Salvador para visitar a Fundação Doutor Jesus, do deputado federal Sargento Isidório, e reuniu políticos do DEM, PSD e PT


Tribuna da Bahia, Salvador
20/07/2019 10:18 | Atualizado há 15 horas e 52 minutos

   
Foto: Extra Online

Por Rodrigo Daniel Silva

O presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM), desembarcou, ontem, em Salvador, para visitar a Fundação Doutor Jesus, do deputado federal Sargento Isidório (Avante), e falou sobre a reforma da Previdência. Em entrevista à imprensa, o democrata afirmou que o governador da Bahia, Rui Costa, tentou ajudar na aprovação da reforma, mas esbarrou no próprio partido, o PT. Segundo Maia, o chefe do Palácio de Ondina disse que a decisão da sua sigla de fechar questão (quando todos os deputados votam da mesma maneira) contra a matéria o impedia de contribuir com a reforma. "A gente não conseguiu fechar acordo com nenhum governador do Nordeste. Não conseguiu se construir um entendimento, apesar da boa vontade do governador (Rui Costa). Infelizmente, ele não pode ajudar. Poucos foram os governadores do Nordeste que conseguiram ajudar. Não por falta de vontade, mas por compreensão dos próprios partidos. O PT votou todo contra", declarou Maia.

Segundo ele, o fato de metade da bancada de Rui votar a favor não significa um apoio do governador à reforma. "Uma coisa são os partidos de centro-direita, que votaram (a favor). O (senador) Otto (Alencar), com certeza, teve papel importante para que a gente tivesse os votos do PSD. Agora, não tivemos nenhum voto do PT. Nenhum voto do PCdoB. Sei que o governador tentou. A gente conversou algumas vezes, mas, infelizmente, não conseguimos chegar em um entendimento. Uma pena. Os partidos avançaram fechando questão contra o que inviabilizou um movimento mais forte dos governadores para ajudar”, ressaltou.

Na base de Rui, aproximadamente 49% dos deputados votaram a favor. Foram eles: Alex Santana, Antonio Brito, Cacá Leão, Charles Fernandes, Claudio Cajado, João Carlos Bacelar, José Nunes, José Rocha, Otto Filho, Isidório, Paulo Magalhães, Ronaldo Carletto, Tito, Uldurico e Raimundo Costa. Maia visitou a instituição de Isidório após um pacto com o deputado baiano. Pelo acordo, o democrata viria a Salvador para conhecer a instituição e o parlamentar votaria a favor da reforma da Previdência. O deputado do Avante negou. 

Acordo

Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, no entanto, confirmou que houve acordo. "A vinda dele (Rodrigo Maia) aqui para Bahia é especialmente para ir pro negócio do Sargento Isidório, que ele tinha se comprometido na votação da reforma da Previdência", disse ACM Neto, que tomou café da manhã com o presidente da Câmara. Sem citar nomes, Maia afirmou que muitos políticos atacaram a reforma da Previdência publicamente, mas defenderam em conversas reservadas. “Pedem para que a gente aprove, inclua os estados, mas para fora, infelizmente, (adota) o discurso fácil. Eu quero fazer o discurso difícil. O discurso fácil gerou pobreza, jovens entregues às drogas e fora das escolas. Acho que está na hora de ter coragem para enfrentar os desafios para que esse país possa cumprir o seu papel, para que os políticos possam ser respeitados. E que vocês possam olhar a gente com esperança e com a certeza de que no Parlamentar tem muita coisa que a gente pode fazer”, ressaltou.

O presidente da Câmara afirmou, ainda, que a reforma da Previdência traz justiça social. "Temos que ter coragem de tirar o dinheiro de quem ganha mais e controlam o dinheiro dos impostos que pagamos e devolver isso para a sociedade. E pode ter certeza: a reforma  da Previdência faz isso. Não faz todo o caminho que gostaríamos, mas o que estamos aprovando está tirando daqueles que ganham um pouco mais e dando para aqueles se aposentam com menos. Por isso que a reforma reduz desigualdade. Isso é o grande desafio do Brasil”, salientou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas