Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 10/8

Safira Moreira, moderna e ativista, é única representante da Bahia no “CineMundi”


Tribuna da Bahia, Salvador
10/08/2019 20:35 | Atualizado há 13 dias, 5 horas e 7 minutos

   
Foto: Reprodução

O talento do cinema baiano já mostrou historicamente a glória da cultura local até com o primeiro lugar no “Festival de Cannes”. Foi o que aconteceu com a “Palma de Ouro” para o “Pagador de Promessas”, em1962, e continua em alta. Mas a produção local depende cada vez mais de projetos fora do estado. Como acontece na décima edição do “CineMundi”, a partir de 17 de setembro em Belo Horizonte, em que a cineasta Safira Moreira ( foto)faz a representação única da Bahia com o filme “Olho D’água”.

Na produção do filme, outra representação feminina com Flávia Santana, da “Giro Planejamento Cultural”. A décima edição do “Cine Mundi” acontece em paralelo com a 13ª edição do “Cine Belo Horizonte”. É oportunidade gigante para a produção do país em geral, afinal o “CineMundi” é um evento de coprodução internacional que apresenta projetos de filmes brasileiros ao mercado audiovisual internacional.

O “CineMundi” é avaliado ainda como um evento que amplia a rede de contatos e negócios entre profissionais brasileiros e representantes da indústria estrangeira. A seleção dos 22 filmes participantes foi feita pelos produtores Paulo de Carvalho e Gudula Meizolt, ambos da Alemanha, Séverine Roinssard, da França, pelo crítico Pedro Butcher do Brasil, e pela equipe da “Universo Produção”, organizadora do evento. 

Os 22 projetos, selecionados em três categorias, são de oito estados brasileiros, sendo nove de Minas, três de São Paulo, e além de um da Bahia também um do Espírito Santo, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Ceará.

Dinheiro de rico não acaba, muda de mãos  

Aquele mantra “dinheiro não acaba, muda de mãos” que os ricaços costumam repetir, deve ganhar respaldo internacional no almoço que o consultor Carlos Sérgio Falcão e o grupo “Business Bahia”, que reúne mais de 250 empresários, organizam sexta, 23, na pulsante “Casa do Comercio”. Bastava a experiência dos anfitriões e a pauta já valia a pena. Mas acontece que o convidado especial é ninguém menos que Daniel Cunha, da “XP Investimentos”.

Daniel Cunha chega a Salvador vindo de Nova York, onde é Macro Strategist da “XP Investimentos”. Ou seja, um dos homens de ouro de Guilherme Bemchimol, Ceo e fundador da poderosa “XP Investimentos” Vale contar que Bemchimol assombrou o grão ducado dos negócios e dos investimentos, com a ousadia de criar a maior corretora independente com origem brasileira. A “XP Investimentos” tem a expertise de criar mega eventos como a “Expert XP 2019”, de São Paulo.

Arte de Menelaw Sete volta a instigar cena fashion internacional

As cores e o estilo do artesanato brasileiro fazem sucesso na moda internacional há pelo menos um ano, desde que foi lançado em Paris o projeto “Akra”. Coordenado pelo designer Samuray Martins, tem participação de comunidades de artesãos de vários estados, como a Bahia e o Maranhão, e um talento baiano que se destaca na cena artsy internacional, o pintor cubista Menelaw Sete, dono de um badalado atelier no Pelourinho.

A novidade do projeto “Akra” é o lançamento da coleção “Burity” feita com fibras de buriti e piaçava. As peças que são vendidas pelo site “Westwing” costumam fazer parte do circuito fashion europeu,como se vê na foto em que Menelaw Sete e o designer Samuray Martins são recebidos pela empresária Manuela Amaro, fundadora da marca internacional “Blanc Fashion”.

Arte que Ai Weiwei criou em Trancoso vai embora sem exibir na Bahia 

A mostra “Raiz Ai Weiwei”, maior exposição já organizada pelo designer e ativista chinês Ai Weiwei, acaba de ter anunciada a sua ultima etapa no Brasil. “Essa será a ultima encarnação da exposição Raiz de Ai Weiwei no Brasil. Dessa vez no Rio de Janeiro no “CCBB” e Paço Imperial” registrou ontem o top curador Marcello Dantas, conhecido no Brasil também como o criador da fabulosa “Japan House”, de são Paulo.

O que a Bahia tem a ver de especial com o fato é que a exposição nasceu no sul do estado e se despede do país sem ser mostrada aos baianos. Foi Marcello Dantas quem trouxe Ai Weiwei para Porto Seguro e o fato foi noticiado com exclusividade em Boa Terra, na época. As peças da exposição foram moldadas com participação de artesãos locais e logo na primeira mostra, no “Espaço Oca”, em São Paulo, causou furor internacional. 

Projeto hoteleiro na Bahia com prestigio do governo português

Se depender do governo português o projeto de retrofit do Palácio rio Branco em Salvador, para virar hotel, já tem sucesso garantido. Como já foi anunciado, o prédio, que tem origem no século XVI, mas com resultado atual do inicio do século vinte, faz parte dos planos da poderosa grife hoteleira “Vila Galé” comandada pelo magnata Jorge Rebelo de Almeida, e tem a condição especial de fazer parte do projeto “Reviver”, com incentivos do governo português.

O que tem de novidade é que o “Reviver” entusiasma a mídia especializada em turismo, de Portugal, e anuncia cada vez mais novos projetos ligados a sítios históricos. O da Bahia é o único no Brasil.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas