Eleição do PT em Salvador se polariza entre dois nomes

Gilmar Santiago, atual presidente do PT de Salvador, disputa com o assessor do deputado Jorge Solla, Ademário Costa


Tribuna da Bahia, Salvador
14/08/2019 06:40 | Atualizado há 25 dias, 12 horas e 30 minutos

   

Por Henrique Brinco

A eleição para a presidência do PT em Salvador está polarizada entre dois nomes principais: Ademário Costa e Gilmar Santiago. No início da semana, três das maiores chapas se uniram em um movimento que já é visto como de isolamento contra Gilmar, atual presidente. A eleição está marcada para 8 de setembro. Em ato realizado na sede do Movimento dos Sem Teto de Salvador (MSTS), ficou definido que Ademário, da corrente Avante, será o nome principal para fazer frente ao candidato à reeleição. O acordo prevê um revezamento: em caso de vitória, Ademário irá para presidir o partido em Salvador nos anos de 2020 e 2021; e a professora Iracema Moura, da Esquerda Popular Socialista (EPS) e dirigente do MSTS, comandará em 2022 e 2023. Hamilton Menezes, da Construindo um Novo Brasil (CNB), retirou sua candidatura e seu grupo político fará parte da gestão.

“Eu tenho uma trajetória do movimento estudantil, da luta popular de massas. Juntos, vamos recolocar o PT de Salvador no caminho de fazer luta social, de colocar o povo na rua, num programa democrático e popular. É a aliança que não só vai eleger o presidente do PT de Salvador, como fortalecer o PT para que o partido apresente uma candidatura própria à Prefeitura de Salvador”, afirmou Ademário. Para Hamilton, “é fundamental que o PT não seja um PT de gabinetes, que compreenda a luta política é diferente da luta parlamentar”. “Elas se completam”, reitera. “O PT precisa ter um pé na luta e outro no parlamento, e resgatar essa base histórica é fundamental para lutar pela liberdade do presidente Lula. Eu que sou fundador do partido na década de 80 me sinto honrado a me somar a Ademário Costa e Iracema nesse novo momento”, justifica Hamilton.

“Construímos uma unidade programática primeiro, já há algumas semanas, na defesa da candidatura própria à Prefeitura de Salvador, com compromisso de convergirmos também na tática eleitoral. [...] Temos que enfrentar e derrotar o governo Bolsonaro, o seu representante em Salvador, que é ACM Neto”, encerra Iracema. 

Gilmar, por sua vez, também tem se movimentado e conseguiu um apoio importantíssimo: o senador Jaques Wagner (PT). A vereadora Marta Rodrigues, que foi cotada para brigar pela presidência da legenda, recuou e hoje integra a chapa de Gilmar como candidata a vice.  “Eu e a vereadora Marta [Rodrigues, candidata a vice] agradecemos a confiança do senador Jaques Wagner, que considero ser, junto com Rui Costa, as duas principais lideranças do partido no estado. Nossas correntes estão desde o primeiro momento defendendo a candidatura de Éden, que para nós significa dar uma reoxigenada no PT na Bahia, para que sigamos dando continuidade a esse projeto iniciado por Jaques Wagner”, disse Gilmar Santiago. “É um apoio importante, que demonstra confiança na gestão que fizemos nos últimos dois anos. Foi uma boa largada. Temos apoio de parlamentares. É uma infinidade de lideranças que sabe da responsabilidade desse momento histórico que vivemos em que almejamos dirigir a capital. Queremos ter um partido forte, que possa dialogar com a sociedade”, acrescentou.

 Wagner já tinha participado também da articulação para unir correntes petistas em torno da candidatura de Éden Valadares para presidente do PT da Bahia. Éden Valadares é assessor de Wagner e conseguiu unir as tendências internas do PT: Construindo um Novo Brasil, Resistência Socialista, Democracia Socialista, Movimento PT e 2 de Julho. Resta agora saber quem o governador Rui Costa (PT) vai apoiar.

Mais candidatas

As candidatas Vera Lúcia Barbosa, a Lucinha do MST, e de Dani Ferreira, concorrerão respectivamente para as presidências do PT da Bahia e de Salvador. Integrantes da Esquerda Popular Socialista (EPS), elas representam movimentos sociais de luta pela terra e por direitos das mulheres, dos LGBTIQ+, dos povos negro e originários e de sindicatos de trabalhadores rurais e urbanos. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas