Uber pede que motoristas pressionem vereadores contra regulamentação

Em comunicado, empresa afirma que a retomada do projeto de lei original poderá inviabilizar as operações na capital baiana


Tribuna da Bahia, Salvador
14/08/2019 14:06 | Atualizado há 7 dias, 7 horas e 47 minutos

   

Previsto para ser votado no próximo dia 28, o projeto de lei que prevê a regulamentação dos aplicativos de transporte em Salvador é alvo de polêmica não apenas entre os taxistas, mas também entre os motoristas das plataformas digitais. Em e-mail enviado ontem (13) aos condutores parceiros, a empresa Uber pede que eles pressionem os vereadores da capital baiana contra a retomada do projeto original de regulamentação.

"Apesar da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ter aprovado, em março, o relatório da vereadora Lorena Brandão (PSC-BA) que garantia uma regulação equilibrada e preservava os direitos dos motoristas parceiros, há uma tentativa de retomada do projeto original, que inviabiliza a Uber e outros apps de mobilidade em Salvador", diz o comunicado endereçado aos motoristas.

A empresa ainda incentiva os condutores a se manifestarem a favor do relatório da CCJ, por meio das redes sociais, e finaliza com as hashtags #NãoÀLimitação e #NãoAoRetrocesso. Em anexo, está uma lista com as páginas do Facebook de todos os edis soteropolitanos.

Leia o comunicado completo: 

Uber

Projeto de Lei pode inviabilizar a Uber na cidade

A Câmara de Vereadores voltará a debater o projeto de regulamentação dos aplicativos em Salvador. Apesar da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ter aprovado, em março, o relatório da vereadora Lorena Brandão que garantia uma regulação equilibrada e preservava os direitos dos motoristas parceiros, há uma tentativa de retomada do projeto original, que inviabiliza a Uber e outros apps de mobilidade em Salvador.

O projeto original, a pretexto de regulamentar, estabelece uma verdadeira proibição da atividade, criando inúmeras restrições e impondo multas severas aos motoristas parceiros. Ele cria a necessidade de autorização da prefeitura para dirigir (uma espécie de alvará), limita a quantidade de pessoas autorizadas a dirigir em 7 mil e estabelece a idade máxima de 5 anos para os veículos, além de outras burocracias. O texto aprovado pela CCJ, por outro lado, retirou essas restrições, criando uma regulação moderna para a cidade.

Faça sua voz ser ouvida, acesse o Facebook do seu vereador e diga que você quer a aprovação do relatório da CCJ! A geração de renda de milhares de soteropolitanos e a mobilidade da cidade está em jogo.


#NãoÀLimitação #NãoAoRetrocesso

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas