Dinheiro do PIS/PASEP deve estimular comércio na capital

Na Bahia, conforme a Caixa, está disponível para o saque o montante de R$ 671.666.445,10 para 408.242 pessoas


Tribuna da Bahia, Salvador
20/08/2019 11:40 | Atualizado há 2 dias, 11 horas e 3 minutos

   
Foto: Divulgação

Por Yuri Abreu

Ontem, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil começaram os pagamentos das contas do Fundo PIS-PASEP, para aqueles trabalhadores com carteira assinada da iniciativa privada (PIS) e servidores públicos ou militares (PASEP), entre o ano de 1971 e 4 de outubro de 1988. Enquanto o Programa de Integração Social está sendo pago pela Caixa, o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público é pago pelo Banco do Brasil.

Em todo o Brasil, o Fundo tem quase R$ 23 bilhões em depósitos. Na Bahia, conforme a Caixa, está disponível para o saque o montante de R$ 671.666.445,10 para 408.242 pessoas, pelo PIS. Já de acordo com o Banco do Brasil, aqui no estado, o valor total para saque é de R$ 116,1 milhões, referentes a 56.829 cotas, pelo PASEP. Ou seja, juntos, os dois programas têm quase R$ 780 mi depositados. E é de olho nesse dinheiro que o comércio de Salvador está de olho para aquecer as vendas.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas), Paulo Mota, a decisão do governo federal em liberar o saque das verbas vem em um bom momento. “Eu sempre coloco que toda vez que surgem recursos novos no mercado, isso traz uma irrigação da economia. E o varejo se beneficia disso, não só com aquele consumidor que está sendo beneficiado com esse recurso, seja para beneficiar pendências que possa vir a ter, seja para realizar algum tipo de compra que estava precisando”, afirmou.

Diante dessa movimentação financeira, o titular do Sindicato fez uma projeção financeira entre 1,5% e 2%, com relação ao aumento das vendas em comparação com o mês de agosto do ano passado. 

“É uma projeção de expectativa, pois precisamos observar o comportamento do consumidor. Muitos, por falta de dinheiro, não chegaram a fazer compras para o Dia dos Pais e agora podem ter esta oportunidade”, comentou, salientando também o início dos saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), a partir do mês de setembro – apenas em 2019, o valor total para o saque será de R$ 28 bi em todo o Brasil, para àqueles que estiverem dentro do cronograma estipulado pela Caixa.

Ainda segundo ele, essas medidas adotadas pela atual gestão federal vêm em um bom momento para o setor, principalmente após um primeiro semestre considerado por ele como “difícil, duro e com crescimento ridículo”. 

“É necessário que haja essa linha de vir a incentivar a circulação da economia, com recursos, e associada à desoneração dos custos, para que possamos sair dessa situação dificílima que o país atravessa. Acredito que algumas medidas como a reforma da previdência e a expectativa pela reforma tributária, agigantem a potencialidade de empreender, podendo gerar mais empregos”, disse Mota.

Mas, apesar do ânimo e da boa expectativa do setor, àqueles que têm direito ao saque do Fundo PIS-PASEP, ainda estão cautelosos sobre o que fazer com o dinheiro. “Se eu te disser o que vou fazer com esse dinheiro, estarei mentindo. Preciso ver o quanto tenho, na verdade, para dar o destino. Mas, a prioridade seria para quitar débitos, comentou Rodolfo Aveira, que trabalha como autônomo.

Já a aposentada Estela Vieira está um pouco mais animada e até pensa em trocar um dos eletrodomésticos da residência dela. “Minha geladeira já vem me dando dor de cabeça há algum tempo. A depender de quanto eu tenha, quem sabe finalmente não consiga fazer essa mudança”, contou, aos risos.

O que fazer?

Para o especialista em educação financeira, Reinaldo Domingos, é normal ficar em dúvidas sobre o que fazer com essa renda, diante de tantas formas de conseguir o dinheiro. Mas o primeiro passo, segundo ele, é saber qual é a real situação daquelas pessoas que tem o direito de realizar o saque.

“Quem estiver com financiamentos ou dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito, deve estabelecer uma estratégia para eliminar o problema. Essas devem ser as primeiras dívidas a serem combatidas, já que as taxas de juros são mais altas do que a lucratividade de qualquer aplicação segura. Caso o valor resgatado seja suficiente para quitar a dívida em atraso totalmente, é interessante agir dessa forma”, orientou.

Já para aqueles que estão um pouco mais folgados financeiramente, a dica é outra. “para quem já tem o hábito de poupar ou pretende potencializar esse dinheiro, é importante estabelecer sonhos e objetivos para ‘carimbar’ esse dinheiro de acordo com o prazo, que irá fazer toda a diferença”, acrescentou Domingos.

Quem pode?

Segundo o Ministério da Economia, no primeiro dia os cotistas que possuem contas na Caixa e no Banco do Brasil tiveram o dinheiro depositado em conta corrente ou em poupança. Já os demais cotistas poderão fazer os resgates conforme calendário divulgado tanto pela Caixa, quanto pelo Banco do Brasil. 

De acordo com a Medida Provisória 889/2019, os recursos do fundo ficarão disponíveis para todos os cotistas, sem limite de idade. Diferente dos saques anteriores, agora não há prazo final para a retirada do dinheiro. Mais informações para aqueles que têm direito as cotas do PIS podem ser obtidas através do site: http://www.caixa.gov.br/cotaspis. No caso do PASEP, o endereço eletrônico é o: http://www.bb.com.br/pasep. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas