Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 9/9

Lançamento gigante do “Escravidão” traz Laurentino Gomes a Salvador em outubro


Tribuna da Bahia, Salvador
09/09/2019 09:30 | Atualizado há 8 horas e 1 minuto

   
Foto: Reprodução

O jornalista e escritor paranaense Laurentino Gomes (na foto com Mauro Palermo)    encerrou ontem a etapa inicial da maratona de lançamento do primeiro livro da trilogia “Escravidão”, e agora é só uma questão de tempo para a tarde de autógrafo em Salvador, prevista para a quinta feira, 10 de outubro. Todo o burburinho inicial se concentrou na fabulosa “Bienal Internacional do Livro”, do Rio de Janeiro, como a coluna antecipou. Um fato curioso foi o editor do livro, Mauro Palermo, diretor da “Globo Livros” entrar na fila de autógrafo com um exemplar na mão.

No maior evento literário do país, foram cinco sessões de autógrafos, a partir do dia 31, com a última prevista para ontem, às 3h da tarde. A semana incluiu também bate papo transmitido ao vivo pelo “Face Book”; e lançamentos paralelos na badalada e elegante “Livraria da Travessa” do “Shopping Leblon”, no Rio de Janeiro, e na “Livraria Saraiva” de São Paulo. 

Colocado entre os campeões de vendas de livro no Brasil, Portugal e Estados Unidos, com 2,5 milhões de exemplares da trilogia, “1808”, “1822” e “1889”, Laurentino dedicou muito tempo de pesquisas na Bahia para os primeiros livros. Desta vez foram seis anos de pesquisas e viagens por doze países. Pouco antes de lançar a edição, o escritor gravou vídeo em Salvador e postou nas redes sociais falando sobre a importância da Bahia, no assunto. 

Com 60 anos de carreira, Helena Ignez encanta com estréia de “Fakir”

A cineasta e atriz baiana Helena Ignez, que teve o talento revelado há sessenta anos pelo primeiro marido dela, o também cineasta baiano Glauber Rocha, volta a encantar o cenário cultural pela intensa produção de filmes e espetáculos. Novamente foi a estrela de um grande evento, com o lançamento do filmes “Fakir”, na nona edição do “CINEFANTASY” o “Festival Internacional de Cinema Fantástico”, encerrado ontem, no prestigiado “Museu da Imagem e do Som”, de São Paulo.

Produções de 58 países foram exibidas no evento. Helena Ignez subiu ao palco sob aplausos e ganhou abraço esfuziante de outra estrela, a também atriz Divina Valéria. O filme “Fakis”, que aborda a internacional e secular arte circense do faquirismo, já havia sido convidado especial para abrir a 14ª edição do “Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo”, em julho.

Dres code vanguardista de Hiran faz a diferença no “Coala Festival”

O cantor Hiran Fernandes se consagrou como nova sensação da música urbana de Salvador desde o ultimo verão. E espalha o carisma pelo Brasil, como no final de semana ao participar da abertura do “Coala Festival” anteontem. O evento que é famoso pelo burburinho, atraindo o alarido e o colorido sem fim das tribos mais irreverentes ao espetacular “Memorial da América latina”, de São Paulo, tem a proposta de renovar a música brasileira.

E Hiran não deixou por menos. Renovou a pegada musical, cantando ao lado do deejay Ubunto Tres Mundo, e arrasou em estilo com o macacão da grife “Assumpta” sobre uma camisa de gola rolê do brechó de luxo “Minha Avó Tinha”’, de São Paulo. A produção foi do irreverente stylist Zedu Carvalho, que já trabalhou com moda em Salvador.

Divina Valeria volta a Salvador numa temporada coalhada de prêmios 

Por falar na showwoman Divina Valéria, vale contar que a atriz carioca de nascimento, mas com um dos endereços de residência em Salvador, acaba de anunciar pelas redes sociais que traz para a Bahia o premiado curta metragem “Marie”, do talentosíssimo pernambucano Leo Tabosa. Não é pouca coisa. Valeria interpreta Mario, um homem do interior que retorna como Marie, à cidade onde nasceu, viajou para enterrar o pai.

O curta estreou no “Festival de Cinema Gramado” e foi premiado com quatro “Kikitos”. Um deles, o Premio Especial do Juri, para Divina Valéria. No final da semana, a elogiada produção voltou a figurar entre os premiados do “Festival de Cinema do Ceará” em Fortaleza, como o “Melhor Curta Metragem”.

Silvana Magda e Nabiyah Be na semana do “Brazil” para os gringos 

Duas artistas baianas com pegada internacional fazem a diferença na festiva e gigante comemoração da independência do Brasil, nos Estados Unidos. A festança singular, com direito a clima de carnaval no palco em plena Manhattan nova-iorquina começou com a esfuziante dançarina e produtora Silvana Magda. Ela fez a festa de abertura da temporada brasileira, incendiando o animado “Sob’s” da Varick Street, na Hudson Square, dia 31.

No final de semana foi a vez da cosmopolita Nabiyah Be comemorar nas redes sociais que estava escalada para a festa “Brazilian Day” marcada para a noite do sábado, em Newark, no estado de New Jersey. A artista nasceu em Salvador e é filha di cantor jamaicano Jimmy Cliff. Ganhou destaque internacional ao participar do elenco de “Pantera Negra”, filme indicado ao “Oscar”. A coluna fechou antes de Nabiyah Be entrar em cena pelo Brazil Day, m as valeu a animação


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas