Parceria entre a Sempre e o Projeto Axé protege 863 crianças em situação de rua

O projeto bateu recorde de assistência, com 863 atendimentos, em 12 ações, oferecendo proteção social a crianças, adolescentes e jovens em situação de rua


Tribuna da Bahia, Salvador
08/09/2019 16:47 | Atualizado há 1 dia, 2 horas e 25 minutos

   
Foto: Divulgação

Tomar as ruas com cores, livros, tintas, bolinhas de sabão. Fazer do espaço um lugar possível para criança, trazendo aspectos da ludicidade e arte, próprios da educação. Essa ideia se transforma em realidade graças à parceria entre a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) e o Centro Projeto Axé de Defesa e Proteção à Criança e ao Adolescente. 

O projeto bateu recorde de assistência, com 863 atendimentos, em 12 ações, oferecendo proteção social a crianças, adolescentes e jovens em situação de rua. O termo de colaboração entre a Sempre e o Projeto Axé foi assinado em 2018, com investimento inicial da secretaria de R$ 940 mil, que valeu até março de 2019. 

A parceria foi ampliada, recebeu um investimento aditivo de R$ 1,7 milhão, com a renovação até 2020 e inclusão de duas metas. A primeira consiste em capacitar 150 pessoas para atuarem com crianças e jovens em situação de rua, a segunda busca dar apoio a 100 famílias, considerando o universo de 500 pessoas.

A secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Ana Paula Matos, ressaltou o caráter humano do projeto e reforçou o apoio da Sempre à ações como esta. “Projeto importante que cria uma aproximação com as crianças e adolescentes, levando a eles não só novas oportunidades e orientações para sair da situação vulnerável, mas também arte, educação, amor, troca de afeto, promovendo assim uma grande mobilização social”, disse Ana Paula Matos.

Conforme a subcoordenadora da Diretoria de Proteção Social Especial (DPSE), Ravena Lima, a “ideia do projeto é identificar as crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, submetidos a riscos de exploração sexual, trabalho infantil, mendicância, aliciamento pelo tráfico de drogas e desenvolver suas potencialidades, fortalecendo vínculos familiares e comunitários”. Dentre os serviços oferecidos pelo projeto está o Axébuzu. 

Equipado com materiais lúdicos, massa de modelar, jogos educativos, dentre outros, o “carrinho” percorre as praças com equipe qualificada para promover a interação com as crianças. “Recentemente, apoiamos uma ação na Praça da Piedade com os carrinhos, integrando o “Axé In Tinere” e os educadores puderam levar alegria às crianças, com brincadeiras e ações para entretê-las. O resultado foi bastante positivo”, destacou a secretária da Sempre. 

Bruno Cerqueira, gerente de Educação de Rua do Projeto Axé, considerou o projeto como “revolucionário” porque se dá “na rua”. “É educação de rua, se concretiza na rua, lugar onde a gente transita e poucas pessoas imaginam que esse seja um espaço para fazer arte e educação. Porque é essa a ideia do projeto de colocar os dois em um só. Não há como dissociar a arte da educação. 

Conforme Cerqueira, “estar nas ruas com esses sujeitos que estão esquecidos que podem desejar, que podem fazer arte, que estão dotados de criatividade, é muito legal e ressignifica a minha vida e dessas pessoas também. A Sempre não move apenas o financiamento, mas o olhar para essa população. Isso é importantíssimo, o papel do Estado nesse sentido. Garantindo direito natural, humano e cidadão”, relatou.

As crianças e adolescentes identificadas pelo programa são encaminhadas para unidades de atendimentos do Projeto Axé; Instituições parceiras, para os serviços das Políticas Públicas Setoriais e Órgãos do Sistema de Garantia de Direitos- SGD.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas