Raio Laser - 11/9 - Ele fica

Ao contrário do que foi ventilado no meio político ontem, o líder do governo na Câmara de Salvador, vereador Paulo Magalhães Júnior (PV), permanece no cargo


Tribuna da Bahia, Salvador
11/09/2019 09:00 | Atualizado há 7 dias, 15 horas e 42 minutos

   
Foto: Reprodução

Ao contrário do que foi ventilado no meio político ontem, o líder do governo na Câmara de Salvador, vereador Paulo Magalhães Júnior (PV), permanece no cargo. Sua permanência se dá em função da ordem de reação ao líder ter vindo diretamente do Palácio Thomé de Souza e, consequentemente, que sua destituição do cargo configuraria ‘traição’ e, acima de tudo, descrédito ao grupo, liderado pelo prefeito ACM Neto. Aliados, no entanto, confirmam o desgaste em torno da atuação de Magalhães Júnior e não descartam que, em um futuro próximo, ele possa vir a ser ‘fritado’. Alguns chegaram a relatar que houve excesso por parte do líder, em especial quando tentou votar no plenário, A emenda que limitava o número de veículos por aplicativos em Salvador, assunto já pacificado entre os pares.

Tentativa de livrar a pele

Em meio a toda essa polêmica, numa espécie de tentativa de livrar sua pele, o líder do governo na Câmara, reiterou em plenário a boa relação que nutre com o presidente Geraldo Júnior (SD) e seus pares. “Imagine: se há alguém que tem uma lealdade, uma proximidade, tem que ser igual à nossa. Maior do que a nossa é difícil, eu que fui o primeiro a declarar voto a ele [Geraldo Júnior] durante a sua a eleição para presidir esta Casa e sou seu fiel escudeiro. Portanto, quando convergimos é para melhorar o andamento dos trabalhos, valorizar cada vereador desta Casa”.

Vetos passarão

Apesar das polêmicas instaladas em torno dos 12 vetos do prefeito ACM Neto aos projetos de autoria dos vereadores, que estão sobrestando a pauta na Câmara de Salvador, informações chegadas a esta coluna dão conta de que os aliados que ensaiavam uma mini-rebelião já teriam se convencido da decisão do Executivo em rejeitar as matérias, ainda que tenham passado pelo crivo dos colegiados temáticos da Casa. O discurso, pelo que se comenta no Parlamento, não gira em torno dos esclarecimentos da procuradora Luciana Hart. Com isso, levando em conta que o grupo liderado pelo prefeito possui maioria [30 vereadores], a expectativa é de que passe com tranqüilidade em votação prevista para hoje.

Resistência

A única resistência deve ocorrer por parte dos os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias. Inconformados com o veto do Executivo ao projeto 125/2019, de autoria do vereador Sidninho (Podemos), que acrescenta a categoria ao grupo profissional de saúde, e permite o acúmulo de cargos, a categoria já se mobiliza para cobrar dos vereadores a reversão do veto. Sidninho também promete se juntar ao grupo, de forma a sensibilizar os pares.

Rejeição

Por três votos a dois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal rejeitou denúncia contra o ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União, que foi acusado do crime de tráfico de influência junto com seu filho, o advogado Tiago Cedraz.

Dois de Julho

Nesta quinta-feira, às 15 horas, haverá uma sessão especial, na Assembléia Legislativa da Bahia, para outorga da “Comenda Dois de Julho” ao desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, José Olegário Monção Caldas. A proposição foi do deputado estadual Jânio Natal.


Leia a Coluna completa na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas