“Quando o governo me chamar para conversar, eu vou”, diz Neto sobre ponte

ACM Neto disse na manhã de ontem que sentará com representantes do governo do Estado da Bahia para falar sobre a Ponte Salvador-Itaparica assim que for convidado


Tribuna da Bahia, Salvador
21/09/2019 06:30 | Atualizado há 2 dias, 19 horas e 17 minutos

   
Foto: Valter Pontes/Secom/PMS

Por: Guilherme Reis - Subeditor


O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse na manhã de ontem que sentará com representantes do governo do Estado da Bahia para falar sobre a Ponte Salvador-Itaparica assim que for convidado. Nesta semana, o democrata polemizou após o governador Rui Costa (PT) anunciar a publicação do aviso de licitação da obra, afirmando que não permitiria que passassem por cima da prefeitura. “Quando o governo me chamar, eu vou. Sabe aquela música ‘se me chamar eu vou…?’ Estamos abertos ao diálogo, seja sobre a ponte, o VLT, o projeto da Rodoviária… Queremos que a cidade tenha cada vez mais projetos, não apenas da prefeitura, que são muitos. Com esse nível de impacto na cidade, não pode ser licitado sem discutir todos os detalhes. Como esses milhares de veículos vão entrar e sair da cidade, em uma região que já é muito movimentada”, disse Neto, em entrevista coletiva após inauguração da Rua Miguel Calmon, no Comércio.

O vice-governador da Bahia e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão (PP), afirmou à Tribuna nesta semana que está disposto a se reunir com o prefeito ACM Neto (DEM) e detalhar o projeto. Segundo o pepista, a nova estrutura não causará qualquer impacto na cidade, direcionando o fluxo de veículos para a BR-324, próximo à Via Expressa. “Ninguém quer passar por cima de ninguém. A gente tem tempo ainda de discutir. Se não tiver acordo, vamos para o próximo prefeito. Se ele [ACM Neto] quiser sentar, terei muito prazer em fazer explanação. Não terá impacto nenhum em salvador. Quando o governo construiu a Via Expressa, já foi baseado na ponte”, disse Leão, acrescentando que a ponte “vai melhorar o fluxo em Salvador”.

Ainda ontem, Neto comentou os processos que podem levar à cassação dos mandatos dos deputados estaduais Targino Machado (DEM) e Marcell Moraes (PSDB). Os parlamentares devem ser julgados pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) na próxima segunda-feira (23). “Os parlamentares já vieram me procurar, disseram que estão tranquilos. Mas não cabe a mim comentar isso. A pauta do TRE é do TRE, quem faz é o presidente, que é um homem muito sério. Mas sou um daqueles que confiam na Justiça. O TRE é composto por pessoas muito capacitadas, que têm condições de fazer uma avaliação bastante técnica sobre a situação dos parlamentares. Pelo que sei, por relatos deles próprios, não há elementos que possam justificar uma cassação de mandato. Cassar um mandato de um deputado eleito legitimamente pelo povo é uma coisa muito séria. Só se houver elementos muito contundentes e inquestionáveis”, disse.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas