4.586 motoristas já foram autuados na Lei Seca este ano

Enquanto no mesmo período do ano passado, foram notificados 3.715 motoristas na Lei Seca


Tribuna da Bahia, Salvador
08/10/2019 13:39 | Atualizado há 15 dias, 1 hora e 44 minutos

   
Foto: Aura Henrique/Transalvador

Por: Poliana Antunes

Com a chegada da primavera, muita gente já começa a sair de casa para curtir um barzinho ou uma praia. Nessas saídas, muita gente abusa da bebida junto ao volante. De acordo com a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), de janeiro até setembro, foram 4.586 motoristas flagrados ingerindo bebida alcoólica ao volante. Enquanto no mesmo período do ano passado, foram notificados 3.715 motoristas na Lei Seca.

O órgão informou, ainda, que as autuações deste ano, resultaram das 49.599 abordagens nas blitzes da Lei Secana capital, e 4.405 deles se recusaram em fazer o teste do bafômetro. Um número bem maior se comparado com as feitas no mesmo período do ano anterior, quando foram realizadas 38.362 abordagens, onde 3.589 motoristas não concordaram em fazer o teste.

A Transalvador explica que, durante as abordagens feitas este ano, foram apreendidas 4.229 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH). Enquanto nas abordagens feitas no mesmo período do ano passado, foram recolhidas 3.485 CNHs, durante as blitzes da Lei Seca, realizadas pelos agentes do órgão.

CRIME

De acordo com oDepartamento Estadual de Trânsito(Detran), é considerado crime quando o motorista é flagrado conduzindo veículos com índice de álcool no sangue superior a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.

Dirigir sob o efeito de álcool é uma infração de natureza gravíssima, com penalidade de sete pontos na carteira, multa de R$ 2.934,70, pode gerar suspensão do direito de dirigir por doze meses, após o condutor responder ao devido processo legal diante do Detran

A medida administrativa prevista pela Transalvador, é o recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo. O órgão de trânsito

destaca que em caso de reincidência no período de até doze meses, a multa prevista é aplicada em dobro.

O especialista em trânsito Vítor Fernandes, ressalta que o recurso de multa por autuação na blitz da Lei Seca não difere de nenhum outro previsto em lei. “Você deverá, em primeiro lugar, ser notificado em até 30 dias a contar da data da autuação.A partir de então, o prazo é de no mínimo 15 dias para apresentar defesa prévia e, em caso de indeferimento, mais 30 dias para recurso em primeira instância na Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari)”.

Fernandes explica, ainda, que caso não haja sucesso em primeira instância, existe a derradeira opção de recorrer junto ao Conselho Estadual de Trânsito (Cetran). “O recurso é sua garantia à ampla defesa. Então, jamais abra mão desse direito”, aconselha o especialista.

BAFÔMETRO

Para aferir com precisão a taxa de alcoolemia, o método utilizado pelos agentes de trânsito da blitz da Lei Seca é o teste do bafômetro.Sua execução é muito simples, bastando, ao motorista, soprar em um canudo (descartável) para que o ar penetre no aparelho e reaja quimicamente em seu interior.

O resultado é imediato, e o condutor tem direito à contraprova, podendo o condutor aguardar alguns minutos e realizar o procedimento novamente.Isso vale principalmente nos casos em que o motorista acabou de usar produtos com álcool na sua composição, como enxaguantes bucais. O consumo de bombons de licor também pode fazer com que a taxa de alcoolemia suba.

Em algumas operações de blitz da Lei Seca, o agente de trânsito já pergunta antecipadamente se o condutor ingeriu alguma substância que possa alterar o resultado do bafômetro.Assim, a orientação é de que aguarde 15 minutos, tempo suficiente para eliminar os vestígios de álcool no sangue para, aí, fazer o teste novamente

 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas