Colbert garante que fica no MDB e diz que tendência é ter apoio do PSL

“Eu permaneço no MDB. Eu quero que o MDB mude a cara, mude as bandeiras", disse o prefeito de Feira de Santana


Tribuna da Bahia, Salvador
09/10/2019 22:05 | Atualizado há 13 dias, 17 horas e 16 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Rodrigo Daniel Silva

O prefeito de Feira de Santana e candidato natural à reeleição, Colbert Martins, afirmou que vai ficar no MDB, apesar da crise do partido na Bahia, e disse ainda que a tendência é ter apoio do PSL no pleito do próximo ano. Até o momento, os dirigentes da sigla do presidente Jair Bolsonaro têm dito que a legenda vai lançar postulante ao Executivo feirense e hoje a deputada federal Dayane Pimentel é o nome que desponta.  

“Eu permaneço no MDB. Eu quero que o MDB mude a cara, mude as bandeiras. É necessário que isso aconteça. Essa decisão é de ficar no MDB. Estive no MDB a vida inteira. Eu saí por um período e depois voltei. A minha decisão é ficar a não ser que o partido não me queira. Aí é outra questão”, assegurou Colbert. O MDB baiano vive uma crise desde que a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima e ao seu irmão, o ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima. Os dois são julgados criminalmente no Supremo Tribunal Federal (STF). O caso provocou no final do ano passado uma debandada da sigla. Deputados estaduais, prefeitos do interior e até o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, decidiram deixar a sigla.

Questionado se defende a expulsão dos irmãos do MDB, Colbert se esquivou. “Não tenho como tomar uma posição em relação a isso. É decisão que o partido estadualmente deve tomar. Não faço parte da executiva estadual, mas entendo e respeito as pessoas que estão respondendo inquéritos. Essa é uma questão judicial. A questão política tem que ser decidida pelo MDB”, pontuou.

Colbert afirmou que conta com o apoio do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), na sua candidatura à reeleição. Nos bastidores, houve rumores de que o clima entre os dois estava pesado. “Ele é um general eleitoral. É uma pessoa muito forte. E nós estamos construindo essas novas alianças. (...) Lá em Feira eu conto com o apoio do ex-prefeito José Ronaldo e ele conta com meu apoio. E vamos fazer um trabalho conjunto, que é um trabalho de unidade para mantermos o que temos lá. E acredito também em Salvador. O PT quer derrotar os nossos partidos na maioria dos municípios. Isso nos faz estar unido para poder disputarmos a eleição”, declarou. 

O prefeito também disse que espera o apoio do PSL. “Acho que estamos na mesma linha lá em Feira de Santana. E continua a mesma linha que foi da eleição de Bolsonaro, que foi aquela linha muito de [ser contra] o PT. Entendo que a tendência é o PSL é ficar conosco”, afirmou. Levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisa em agosto deste ano aponta que o deputado federal Zé Neto (PT) está na frente com 26,5% das intenções de voto. Depois, aparece Colbert Martins, com 14,1%. Em terceiro, vem o deputado estadual Targino Machado (DEM) com 10,6% e em quarto a deputada federal Dayane Pimentel com 10,4%.

Sobre a relação com o governador Rui Costa (PT), Colbert afirmou que é “institucional”. “Eu pedi uma audiência no início do ano. Eu estive lá e ele me recebeu. Todas as solicitações foram encaminhadas e estamos aguardando as respostas. Relação respeitosa antes de qualquer coisa. Fiz o que deve fazer do ponto de vista institucional. Acho que a relação institucional está muito bem. Ele me respeita e nós respeitamos o governador”, ressaltou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas