Pais antecipam compras de material escolar preocupados com aumento de preço

Empresas apostam em inovações como “surfar” na onda da música Caneta Azul ou novas cores para lápis e canetas


Tribuna da Bahia, Salvador
08/11/2019 07:40 | Atualizado há 11 dias, 21 horas e 24 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

Por: Cleusa Duarte


Com a chegada do final do ano começa também a preocupação com a compra do material escolar visando 2020. Pais já pensam nos cadernos e utensílios como lápis, caneta, borracha, apontador, marcadores, entre outros. Antes que chegue o aumento, algumas famílias já buscam adquirir o que é possível prevendo o início das aulas. Empresas apostam em inovações como “surfar” na onda da música Caneta Azul ou novas cores para lápis e canetas.

O hit “Caneta Azul” do autor e vigilante maranhense Manoel Gomes, já tem mais de 8 milhões de visualizações no YouTube desde o lançamento da canção, que fala sobre uma caneta perdida e a busca de seu dono por ela. De olho no potencial de “Caneta Azul”, marcas de papelaria aproveitaram para criar propagandas divertidas em cima da história de Gomes, e lançaram suas versões na internet, com o gancho da primeira prova do Enem Exame Nacional do Ensino Médio, realizada no primeiro final de semana de novembro.

A Tilibra, por exemplo, convidou o autor da música para um post no Instagram. Na legenda do vídeo, a marca dizia: “Nesse Enem, vamos te ajudar a tirar a caneta azul da cabeça. " É que no Enem não pode utilizar caneta azul . A BIC postou no instagram “Temos a azul, mas também temos a preta”, “bom foi um alerta legal e eu que prestei a prova de humanas no último domingo estou com a caneta preta já comprada para a prova de exatas”, brinca Cecília Ramos estudante do ensino médio.

A Kalunga conhecida por suas grandes lojas com suprimentos para escritórios e materiais escolares com 200 lojas distribuídas em 20 estados é líder do segmento. Em seu site afirma que apesar da tecnologia estar cada vez mais presente na vida de todos, tanto empresas como escritórios ainda precisam de papel. Mesmo com a crise confirma que ainda existe um mercado pujante para produtos de papelaria “o tipo de produto que vendemos se mantém ativo o ano todo, todo o dia alguém precisa de caderno, papel, borracha ou caneta”, diz a gerente Aurizete de uma das lojas da Rede. Sobre promoções, descontos visando o início das aulas em geral, Aurizete informa que só começa nos primeiros dias de janeiro de cada ano.

“Realmente os descontos são maiores quando compramos no início de janeiro, mas gosto de dar uma olhada ao longo do ano. Compro alguns itens como borracha, lápis, caneta aos poucos. Deixo mais os livros que são os produtos mais caros para comprar em janeiro. Costumo aproveitar o 13º”, comenta Sílvia Colombo mão de estudante.

Renata Fonseca tem uma filha na educação infantil e afirma “eu compro lápis de cor, caneta colorida, borrachas coloridas em forma de bichinhos. Isso eles gastam muito e papel avulso ou caderno para escrever, desenhar. Compro ao longo do ano. Só deixo mesmo os livros. A lista costuma sair em dezembro e uso o 13º ou as férias, ou ainda o dinheiro de ganhos extras de final de ano.

Já se sabe através da BIC, que as canetas e lápis coloridos vão ser o forte de 2020 com novidades nas cores. “ Tem sempre uma BIC que combina com você" será a principal comunicação da marca para a temporada, "tem novidade com cores pastéis nas canetas e nas cores dourado, prata e preto metalizadas. Também nos marcadores com novas cores mais suaves. Os pais podem ficar despreocupados, e as crianças, livres para brincar e colorir, pois a BIC Canetinha Hidrográfica Ultra Lavável garante a remoção da tinta em tecidos e na pele", diz Daniel Bellon, gerente de Papelaria da BIC.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas