Sergio Brito decide deixar a Secretaria de Desenvolvimento Urbano

O deputado federal Sergio Brito (PSD) anunciou, ontem, a saída da pasta para se dedicar ao mandato na Câmara dos Deputados


Tribuna da Bahia, Salvador
08/11/2019 07:40 | Atualizado há 11 dias, 21 horas e 24 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

Por: Rodrigo Daniel Silva


Quase oito meses após assumir a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), o deputado federal Sergio Brito (PSD) anunciou, ontem, a saída da pasta para se dedicar ao mandato na Câmara dos Deputados em Brasília. Brito assumiu o cargo no início de fevereiro deste ano e já estava a afastado da função desde outubro quando pediu exoneração. Na época, argumentou que a exoneração era por período de 45 dias para cuidar da saúde e das emendas parlamentares.

Nos bastidores, o comentário era de que Brito estava insatisfeito na Sedur, por entender que tinha mais recursos disponíveis na Câmara para atender as bases eleitorais do que na secretaria. “Decidi dar continuidade ao meu mandato de deputado federal. Portanto, vou ficar em Brasília. Foi uma honra, para mim, trabalhar com o governador Rui Costa ao longo desses quase oito meses. A Sedur é uma secretaria muito importante, que tem muitas ações de extrema importância no governo. Basta ressaltar o metrô e agora o VLT na parte de mobilidade urbana, e inúmeras obras estruturantes do governo pela capital e interior. Eu me defino como um deputado municipalista, que briga muito para levar recursos para os municípios que represento. Portanto, resolvi dar continuidade ao meu mandato de deputado federal”, justificou ontem.

O problema é que, com a volta de Sérgio Brito, o suplente de deputado Paulo Magalhães (PSD) fica sem cadeira na Câmara. E o presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar, tem a intenção de afagar o correligionário com um assento no Legislativo. Para contemplar Paulo Magalhães, o PSD pode abrir mão da Sedur e a titularidade pode ficar com o deputado federal Nelson Pelegrino (PT). Pré-candidato a prefeito de Salvador, o petista admite que foi “sondado” a fim de voltar para o governo Rui. No primeiro mandato, o deputado do PT foi secretário de Turismo de janeiro de 2015 até julho de 2016. "Houve uma sondagem na perspectiva de resolver o retorno de Paulo Magalhães, mas foi uma sondagem e não foi conclusiva. Na política, tudo tem conversa. Uma solicitação do governador e do senador tem que ser considerada", disse Pelegrino. Segundo ele, seria uma "coisa positiva" virar titular da Sedur. "A depender da conversa, pode ser uma coisa positiva. Posso trabalhar essa questão do metrô, do VLT...", afirmou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas