Rui Costa e aliados comemoram libertação de Lula

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), e aliados do partido comemoraram, ontem, a libertação do ex-presidente Lula


Tribuna da Bahia, Salvador
09/11/2019 10:14 | Atualizado há 10 dias, 5 horas e 47 minutos

   
Foto: Manu Dias / Governo da Bahia

Por: Guilherme Reis -  Subeditor e Rodrigo Daniel Silva - Repórter


O governador da Bahia, Rui Costa (PT), e aliados do partido comemoraram, ontem, a libertação do ex-presidente Lula. A decisão foi por seis votos a cinco. O voto de desempate foi dado pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, o último a se manifestar. A determinação do STF pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em uma postagem nas redes sociais, Rui afirmou que “a condenação injusta jamais calou os ideais de liberdade e justiça social do ex-presidente Lula. [...] Significa que o país pode ser pacificado. Não queremos mais ódio, queremos amor. Queremos respeito ao próximo. É a luta por um país mais igual”.

O presidente do PT de Salvador, Ademário Costa, comemorou a decisão da Justiça Federal de libertar o presidente Lula, em consonância com o resultado de julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) de impedir o cumprimento de pena após condenação em segunda instância. “A decisão do STF apenas reafirma que nós do PT e os advogados do presidente Lula defendemos nesses 580 dias de prisão ilegal, política, injusta. Agora que o STF fez valer a Constituição, seguimos na luta para que a sentença contra Lula seja anulada e ele tenha direito a um novo julgamento justo, quando, não temos dúvidas, ele será inocentado porque não há provas contra ele”, disse o presidente petista.

Segundo Ademário, Lula em liberdade manterá uma agenda de viagens pelo país e de liderança de oposição ao governo Bolsonaro. “Lula será o nosso candidato em 2022. Agora que ele está solto, vai ser possível libertar os sonhos do povo brasileiro, de uma sociedade mais fraterna, com igualdade de oportunidades”, completou.

Já o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, disse que “a soltura do presidente Lula guarda uma mensagem clara de respeito à Democracia e à Constituição do país! Está evidente que ele foi subtraído da disputa presidencial por uma farsa judicial, fabricada à margem da lei, que premiou seu algoz com um cargo de ministro da Justiça”. “Seguimos em vigília, agora com Lula livre, pela nossa Democracia e soberania nacional, que sentem diariamente reveses de retrocesso civilizatório”, acrescentou.

OUTRO LADO

Já os líderes da oposição se posicionaram contra a decisão do STF. "Decisões do Supremo, do Poder Judiciário, têm que ser respeitada. Agora, eu, particularmente, defendo o cumprimento da pena após a condenação em segunda instância. Para mim, do ponto de vista do melhor para o país, seria que a decisão fosse tomada em outro sentido, mantendo e preservando a prisão após a segunda instância. Essa é minha posição. Agora, a decisão do Supremo tem que ser acatada", disse o presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto.

O deputado federal Paulo Azi (DEM) defendeu que o Congresso volte a debater o tema. "É preciso que o Congresso retome a discussão dessa matéria, deixando claro a possibilidade da prisão após a condenação em segunda instância", diz. Presidente do PSL na Bahia, a deputada federal Dayane Pimentel também foi contra. “O próximo passo agora é a soltura de Lula? Nunca tive contato com o STF e sempre participei de manifestações contra suas deliberações impopulares. O que querem os ministros de toga? Querem carimbar de vez o Brasil como sendo a república das bananas?”, salientou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas