Leal quer bater recorde de votações e promete economia na AL-BA

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Nelson Leal (PP), disse que quer bater o recorde de votações no segundo semestre


Tribuna da Bahia, Salvador
09/11/2019 10:16 | Atualizado há 10 dias, 5 horas e 44 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

Por: Osvaldo Lyra - Editor de política e Rodrigo Daniel Silva - Repórter


O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Nelson Leal (PP), disse que quer bater o recorde de votações no segundo semestre, e afirmou que tem tomado medidas para reduzir as despesas da Casa. Segundo ele, na primeira etapa do ano, foram aprovadas 993 propostas. “E queremos bater o recorde no segundo semestre. E tenho certeza absoluta que não iremos parar até o dia 31 de janeiro de 2023, que será o último ano deste biênio”, declarou, em entrevista à Tribuna. “Estamos votando muitos projetos oriundos dos parlamentares. Estamos buscando nos debruçar sobre os PLs (projetos de lei) que lá chegam. A Casa está em uma ebulição, um parlamento forte é e sinônimo de democracia consolidada. Estou tendo a felicidade de estar a frente da Assembleia no momento especial. A Casa está de vento em popa. E vamos continuar assim”, acrescentou.

O progressista ressaltou que a Casa está “funcionando na plenitude”. Segundo ele, as comissões, que aconteciam apenas pela manhã, agora também ocorrem à tarde. “Estão com dinamismo muito grande. Existe toda uma vontade, dos 63 deputados, de produzir muito”, pontuou. Da bancada de oposição, o deputado estadual Alan Sanches (DEM) já reclamou, no entanto, de a Comissão de Saúde ter poucas reuniões. O colegiado é presidido pelo parlamentar Alan Castro (PSD).

Sobre a situação financeira da AL-BA, Leal afirmou que já economizou R$ 50 milhões na sua administração. Segundo ele, há um "déficit histórico" no Legislativo baiano. O progressista ressaltou que a Casa vai precisar que o governador Rui Costa (PT) conceda a suplementação. “Nós temos procurado enxugar o máximo o nosso orçamento. Temos adotado uma série de medidas e já conseguimos economizar por volta de R$ 50 milhões. Tenho certeza absoluta que teremos complementação necessária que falta para fecharmos o nosso ano fiscal. Não vejo dificuldade do governo, do Poder Executivo, repassar porque nós fizemos o nosso dever”, declarou.

“Nós ainda não conseguimos chegar no valor (de qual será o déficit deste ano). Estamos procurando fazer com que esse impacto seja cada vez menos. Terei com precisão no final do mês”, emendou. Questionado sobre a possibilidade de tentar a reeleição para presidente da AL-BA, Leal não descartou. Hoje, é vetada a recondução na mesma legislatura, mas especula-se que uma proposta pode ser aprovada para manter o progressista no posto. “Isso é um assunto que depende dos deputados estaduais. Atualmente, tenho focado na administração e nosso esforço na construção de uma assembleia cada vez mais forte”, salientou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas