Fieb inaugura complexo industrial em Camaçari

Participaram do evento autoridades como o prefeito de Salvador, ACM Neto, o governador do estado, Rui Costa, o presidente da Federação, Ricardo Alban e o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga


Tribuna da Bahia, Salvador
12/11/2019 10:30 | Atualizado há 21 horas e 55 minutos

   
Foto: Manu Dias/GOVBA

Por: Yuri Abreu


Com um investimento da ordem de R$ 87 milhões, a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) inaugurou, ontem, o Senai Cimatec Park, no pólo industrial de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), com uma proposta única no Brasil de suporte ao desenvolvimento da indústria.

Participaram do evento autoridades como o prefeito de Salvador, ACM Neto, o governador do estado, Rui Costa, o presidente da Federação, Ricardo Alban e o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga.

Instalado numa área total de 4 milhões de metros quadrados, o complexo tem, nesta primeira etapa, que ocupa um espaço de 62 mil m2, quase todos os 10 galpões ocupados – além de um prédio administrativo – e é uma expansão dos limites e da atuação do Senai Cimatec, localizado na Avenida Orlando Gomes, bairro de Piatã, em Salvador, e que possui uma escola, um centro tecnológico e uma faculdade.

A unidade possui infraestrutura para atender necessidades em áreas como Automação, Conformação e União de Materiais, Química, Mineração, Fármacos, Biotecnologia e Construção Civil. No local há laboratórios avançados, usinas piloto, áreas de segurança para testes e operações de risco e até uma pista de teste do setor automotivo.

O objetivo, com toda essa organização, é o de atender as demandas industriais que requerem condições de controle e operação especiais, aliando pesquisa, desenvolvimento e testes de produtos e modelos inovadores. O projeto preenche a falta, aqui no Brasil, de centros tecnológicos com características industriais.

Além disso, há o olhar para a sustentabilidade. Os galpões industriais aproveitam a luz e a ventilação natural e a área conta com sistema de captação de chuvas, que são armazenadas em tanques para utilização no próprio centro. Também há a ideia de se criar um parque ecológico dentro do complexo.

"É uma proposta nova no país, que vai ter como pilares, num mesmo local, a atração de novas empresas industriais, a atuação do modelo atual do Senai Cimatec, a 'residência' de centros de tecnologia de outras empresas e o suporte a startups de cunho industrial", afirmou Ricardo Alban, presidente da Fieb.

"Esse é o maior parque de inovação da América Latina que, certamente, vai ajudar muitas empresas e indústrias a transformarem seus produtos, melhorando a competitividade não apenas na Bahia, como no Brasil inteiro. Um parque desses favorece atração de investimentos e empresas que estão em busca de inteligência", ressaltou Robson Braga, da CNI.

EXPANSÃO

De acordo com a Fieb, o Complexo faz parte de um projeto cujo prazo total é de 30 anos, com investimentos superiores aos R$ 2 bilhões - a primeira etapa ocupa, apenas, 1,5% do que se pretende construir.

Com conclusão prevista para 2024, a etapa 2, que vai ocupar um espaço superior a 150 mil m² e terá investimentos da ordem de R$ 330 milhões, vai abrigar, entre outros, além de um projeto confidencial, uma área de óleo e gás,

Na terceira etapa, que tem previsão de finalização para 2026, e vai se estender por uma área de 2,3 milhões de m², será preenchida por atividades de segmentos como reciclagem e simbiose industrial, estação de tratamento de água industrial, estação de tratamento de efluentes e reciclagem de resíduos sólidos. Já a quarta etapa – esperada para 2031 – terá laboratório de testes para equipamento de guerra e laboratório de filmes fotovoltaicos campo de testes de artigos esportivos.

"É um momento de muita felicidade para o nosso município, sendo este o terceiro marco econômico de Camaçari, após as vindas do pólo e da Ford. Tenho certeza que grandes empresas vão querer se instalar não apenas na nossa cidade, mas também em outras da região metropolitana de Salvador, gerando mais emprego e renda, fazendo a economia crescer", afirmou Antônio Elinaldo (DEM), prefeito de Camaçari.

"É um projeto que mesmo estando em Camaçari, possui uma ligação muito forte com Salvador. A soma deste com a estrutura já existente em Salvador representa o maior da América Latina. Isso em termos de qualificação e de mão de obra, para a preparação para um novo mundo", acrescentou ACM Neto, prefeito de Salvador.

Durante discurso, o governador Rui Costa parabenizou a Fieb e a CNI pelo investimento realizado em Camaçari. "Se alguns tinham dúvidas, espero que não tenham. Hoje, se existe algo de concreto é o investimento na tecnologia, uma vez que o mundo não tem mais fronteiras. Temos dar todo e absoluto apoio a iniciativas como essa", afirmou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas