Com vitória, Tite vê Militão, Paquetá, Fabinho e Lodi como ganhos em fase de testes da Seleção

Treinador lembrou que nova etapa, das eliminatórias que começam em março, será de unir desempenho e resultados


Tribuna da Bahia, Salvador
19/11/2019 14:59 | Atualizado há 1 dia, 3 horas e 19 minutos

   
Foto: REUTERS/Ricardo Moraes

O técnico da Seleção, Tite, considerou saldo positivo depois de seis amistosos após a Copa América. Não de resultados, que reconheceu como aquém, mas de novos nomes dentro do grupo de observação. Vê leque maior para atletas se firmarem entre os 23 para as eliminatórias, que começam em março.

Depois de duas derrotas (Peru e Argentina, esta na última sexta), e três empates (Colômbia, Senegal e Nigéria), o Brasil encerrou a série negativa com os 3 a 0 sobre a Coreia do Sul - gols de Lucas Paquetá, Philippe Coutinho (de falta depois de quase cinco anos pela Seleção) e Danilo -, no estádio Mohammed Bin Zayed, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Tite citou Lucas Paquetá, autor do gol que abriu o placar nesta terça, Eder Militão, titular nas duas partidas de novembro, Fabinho e Renan Lodi, destaque na vitória sobre a Coreia do Sul, com dois passes para gols. Mas também valorizou a troca de lado de Arthur, neste caso com Paquetá, e o melhor desempenho de Philippe Coutinho, pela esquerda, em função semelhante a que executou nas eliminatórias para a Copa da Rússia.

- (Resultados não aconteceram) inclusive por erros meus, porque eu ensaio e erro. Às vezes eu encontro solução, mas não encontrando a solução definitiva, por tentativa e erro. Trocando lado de Paquetá e Arthur. Estou pegando um exemplo para que a pessoa entenda que isso acontece. Quando a gente sai de uma disputa e tu vence ela, teu grau de competitividade baixa - disse, comentando sobre a conquista da Copa América.

O próximo compromisso da Seleção será apenas em março no início das eliminatórias. O sorteio para a definição da tabela, em pontos corridos, será realizado em Cartagena, na Colômbia, dia 3 de dezembro.

- Minha expectativa (nestes amistosos) era de melhores resultados. De performance, alternada. A gente teve infelicidade de quando estava melhor... Por exemplo, estávamos melhor e criando três oportunidades contra a Argentina, não fizemos e tomamos. Jogo assim te massacra, foi duro. Hoje (Coreia do Sul) teve performance mais durante o jogo todo naquilo que a gente busca. Mas o objetivo maior era dar minutagem aos atletas e ter jogadores se firmando. Exemplo: quando tem aparecendo Paquetá, Militão, Fabinho, Lodi... eu digo: opa! - destacou Tite.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas