Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 30/11

Com agenda de produção baiana em baixa “Festival do Rio” compensa com o axé da carioca Tetê Morais


Tribuna da Bahia, Salvador
30/11/2019 08:18 | Atualizado há 8 dias, 21 horas e 0 minutos

   
Foto: Reprodução

Com apenas um filme selecionados entre os sessenta brasileiros, a produção baiana está em baixa na exuberante agenda do “Festival do Rio” que começa segunda, 9, em vários espaços da capital fluminense como uma referência para a America Latina em festivais de cinema. Para se ter idéia sobre a condição baiana, vale saber que a pulsante produção pernambucana inclui cinco filmes. Raridade em produção da Bahia, mas em compensação o filme “Família de Axé” da carioca Tetê Moraes (foto) lava a alma da diáspora africana, pois a temática é baiana e conta a historia do pai de santo Alberto Ribeiro Santana, e de sua família.

O documentário de Tetê Morais cresce em importância por ser exibido pouco depois da morte do babalorixá, ocorrida este mês em Salvador. O “Festival do Rio” tem vinte anos de historia e desta vez inclui duzentos títulos de vários países. A única produção baiana selecionada é “Sem Descanso” do francês Bernard Attal, sobre a história de um jovem de Salvador que desaparece após uma ação policial.

Filme “Fakir”, da baiana Helena Ignez programado para exibir na tevê

Por falar em produção de cinema da Bahia, vale falar que “Fakir”, da baiana Helena Ignez, está na pauta para ser exibido na “TV Brasil”. O filme é uma produção paulista e já foi comentado na coluna, com detalhes sobre os personagens que se deitam em camas de prego. Interessante é que tem sido exibido em festivais famosos, como na escolha para filme de abertura da 14ª edição do “Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo” em julho.

Nesta semana, “Fakir” foi exibido na 52º edição do “Festival de Brasília do Cinema Brasileiro”, na Capital Federal, e Helena Ignez terminou perdendo a festa por causa de um resfriado surgido de repente. Não pode sair do Rio de Janeiro, onde mora.

Roupa de aluguel e luxo no estilo vitorioso de Baco Exu do Blues

Com uma carreira relâmpago de apenas três anos, o bluseiro baiano Baco Exu do Blues está em seu terceiro álbum de música e acumula sucesso onde quer que se manifeste. Até em estilo, como aconteceu na participação do “Men of The Year 2019” promoção da revista “GQ Brasil”, realizada quarta feira no “Belmont Copacabana Palace” o hotel mais elegante do Brasil. Na festa que agitou o show business, o baiano venceu na categoria “Homem do Ano na Música” e o estilo dele causou um rebuliço e tanto.

Para começar o rebuliço, Baco Exu do Blues foi produzido pela stylist carioca Barbara Luise. Combinou acessórios da luxuosa “Louis Wuitton", marca estrela da holding bilionária “LVMH”, com terno da loja de aluguel “Flower Homme” de Nova Iguaçu no estado fluminense. Deu certo. A revista “GQ Brasil”, que é a edição brasileira da norte-americana “Gentlemen's Quarterly” colocou o cantor baiano na lista de destaques dos homens que mostraram na festa a mudança de estilo no cenário brasileiro.

Reinvenção da antiga parceria holandesa da “Diesel”, no sul da Bahia

Além de ser um dos mais premiados hotéis do Brasil, e do mundo, pela mídia especializada em turismo de luxo, o “Uxua Casa Hotel’, de Trancoso, tem destaque também como singular centro de produção de design. Tudo pelo empenho do proprietário, o designer Wilbert Das em convidar artistas de varias parte do mundo para produzir arte no local. O destaque na atual temporada de residência artística é mais do que especial. Novamente na Bahia, está o artista holandês Peter Kempkens. Ele foi parceiro de Wilbert na época em que o atual hoteleiro foi diretor criativo da marca internacional de roupas “Diesel”. Mas do que temporada em Trancos, Peter já se transformou em praticamente um artista nativo.

Palcos coalhados de música e cofres cercados câmaras no maior réveillon da Bahia

A programação dos sete palcos do “Festival Universo Paralello”, em Pratigi, na riviera do Baixo Sul, causa rebuliço nas redes sócias pela revelação de estrelas internacionais da psi trance, ou da música cool do Brasil. Neste caso incluindo os baianos Caetano Veloso e Luedji Luna. Mas sucesso mesmo para quem quer curtir a contracultura na festa que começa dia 27, com toda dose de seguranças, são os cofres fortemente vigiados instalados na região.

Os organizadores de um dos maiores eventos de música eletrônica do mundo anunciam a instalação de cofres lockers na área. “Os guarda-volumes são monitorados 24 horas por dia” avisam. Cada pacote que já começou a ser vendido pelo site da festa dá direito a um locker, mais o armazenamento de uma mochila ou mala de viagem.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas