‘Como candidato, venci os dois’, diz Doria sobre eventual chapa Haddad-Marta

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou ontem que, como candidato, venceu Fernando Haddad e Marta Suplicy


Tribuna da Bahia, Salvador
07/12/2019 07:00 | Atualizado há 14 dias, 3 horas e 56 minutos

   
Foto: Reprodução/GP1

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou ontem que, como candidato, venceu Fernando Haddad e Marta Suplicy em eleição e que o prefeito Bruno Covas (PSDB) “repetirá a performance” em 2020.

A declaração de Doria se referia a possibilidade de uma eventual chapa formada por Haddad e Marta, ambos ex-prefeitos, para a disputa da Prefeitura de São Paulo, como revelou o Estado na quinta-feira. “Como candidato venci os dois, e venci junto com (o prefeito de São Paulo) Bruno Covas, e ele vai repetir a performance ano que vem”, disse Doria, que foi eleito prefeito em 2015, no primeiro turno, derrotando Haddad (PT) e Marta (então no MDB).

Sem partido, Marta tem dito a interlocutores que o retorno dela ao PT está praticamente descartado devido às resistências de setores da sigla. No entanto, o ex-presidente Lula articula para 2020 uma coligação que tenha Haddad como candidato à prefeito pelo PT e Marta como vice – ela mantém conversas com PDT e com o Solidariedade.

Doria, por sua vez, já defendeu publicamente uma aliança entre o prefeito Bruno Covas e a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) na disputa pela Prefeitura. “Por que não (uma chapa unificada)? O Bruno é o candidato do PSDB e será reeleito. A Joice é uma deputada brilhante”, afirmou o governador na semana passada.

Covas já recebeu apoio explícito de Doria para tentar a reeleição, ao retomar a rotina na Prefeitura após internação para tratar um câncer na região do estômago.

Huck

João Doria não descartou a possibilidade de uma parceria que unisse o seu partido a Luciano Huck em 2022. "Toda composição é possível sobretudo daqueles com sentimento de centro e objetivo de ajudar o Brasil a crescer, respeitar a democracia, a liberdade de imprensa e ampliar a economia brasileira para ser mais inclusiva", disse à reportagem, enquanto deixava um evento do Grupo Lide ontem.

Questionado sobre se, na sua visão, Huck se enquadra nesse perfil, o mandatário respondeu ser "cedo para uma deliberação nesse sentido, mas, se caminharmos dentro do mesmo objetivo, é bom para todos e é bom para o Brasil". Dois dias atrás, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso havia incluído o nome do apresentador de TV ao lado do próprio Doria e do governador do Rio Grande do Sul, o também tucano Eduardo Leite, em uma publicação no Twitter exaltando o centro político como alternativa à polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).Doria enxergou na manifestação de FHC uma "visão ampla, 360" e pregou respeito. "(Mas) estamos muito longe das eleições ainda, é cedo para qualquer prognóstico."


Estadão Conteúdo

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas