Dom Murilo celebra Jubileu de Ouro Sacerdotal

O jubileu de Ouro Sacerdotal, marcado pela entrega total a Deus e ao próximo, de Dom Murilo Krieger, será realizado na Catedral Basílica de Salvador, com uma Missa em Ação de Graças


Tribuna da Bahia, Salvador
07/12/2019 10:20 | Atualizado há 15 dias, 18 horas e 45 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

Por: Lício Ferreira


Todo o clero e os fieis católicos vão se reunir, neste sábado 7, para comemorar os 50 anos de sacerdócio do Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, O jubileu de Ouro Sacerdotal, marcado pela entrega total a Deus e ao próximo, de Dom Murilo Krieger, será realizado na Catedral Basílica de Salvador, com uma Missa em Ação de Graças. A Celebração Eucarística terá início às 9h e será concelebrada por Arcebispos e bispos de outras dioceses do país.

Em entrevista exclusiva à Tribuna da Bahia o líder espiritual católico respondeu algumas perguntas enviadas por e-mail nesta sexta-feira 6.

Desde criança o Senhor sempre quis ser um religioso?

Dom Murilo: Desde os meus 6 anos de idade pensava em me consagrar aos trabalhos da Igreja. O tempo foi passando e minhas convicções foram se firmando cada vez mais nesse sentido. Nunca tive dúvida do que queria. E hoje, passados 50 anos de minha ordenação sacerdotal, estou convicto de que dei o passo certo.

- Como o Senhor se vê neste papel de respeitado líder espiritual?

Dom Murilo: Procuro fazer o que devo fazer, sem me perguntar se estou sendo ou não aceito. Sigo a orientação que o apóstolo Paulo deu a Timóteo: disse-lhe que ele deveria pregar a Palavra de Deus quer agradasse ou não. Meu compromisso, antes de tudo, é com aquele que me chamou e me deu uma missão. Quando agrado, tudo bem; quando não agrado, tudo bem. O importante é minha fidelidade ao compromisso assumido.

- Qual foi o momento sacerdotal que mais lhe comoveu?

Dom Murilo: No início de meus trabalhos sacerdotais – portanto, jovem sacerdote – dediquei-me aos jovens. Vi conversões que me tocaram profundamente. Tinha a sensação de estar tocando a graça divina. Ao longo de minha vida experimentei outras situações semelhantes. Para mim, sempre é uma novidade poder perceber a ação de Deus no coração de uma pessoa.

- Qual foi o que Senhor mais comemorou?

Dom Murilo: O dia de minha ordenação, isto é, 7 de dezembro de 1969. Depois de uma longa caminhada, via a concretização de meu ideal. Parecia viver um momento irreal. Foram necessários alguns meses para me convencer da graça recebida na minha ordenação sacerdotal.

- Ano passado o Sr solicitou a renúncia do cargo após fazer 75 anos. Já teria uma resposta do papa Francisco ao seu pedido?

Dom Murilo: A resposta que recebi foi mais ou menos assim: espere mais um pouco e vá trabalhando; quando for o momento certo, receberá um sucessor. Estou aguardando, pois, com muita calma. Enquanto for para trabalhar como Arcebispo de São Salvador da Bahia, farei meu trabalho, com toda a disposição; quando for a hora de passar tal responsabilidade a um outro, partirei para novas missões, sem tantas responsabilidades. Por exemplo: pregarei retiros, darei palestras, ajudarei bispos e sacerdotes, estudarei mais...

QUEM É O ARCEBISPO

Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger nasceu a 19 de setembro de 1943. Realizou os estudos de primeiro e segundo graus no Seminário de Corupá, SC, na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Após receber a Ordenação Episcopal, trabalhou com Dom Afonso até março de 1991 e com Dom Eusébio Oscar Scheid de março a junho de 1991. Nesse ano, no dia 22 de julho, assumiu a Diocese de Ponta Grossa, PR. No dia 11 de julho de 1997, assumiu a Arquidiocese de Maringá, no Paraná. Dom Murilo foi nomeado Arcebispo de Florianópolis em 20 de fevereiro de 2002, assumindo essa Arquidiocese no dia 27 de abril de 2002. A posse na Arquidiocese de Salvador aconteceu em 25 de março de 2011.

Dom Murilo é autor de vários livros, escreve em revistas e jornais e tem programas na televisão e na Rádio Excelsior da Bahia, sempre com o intuito de evangelizar. Dentre as obras publicadas, destacam-se: Shalom: A Paz ao Alcance da Juventude (Loyola); O Primeiro, o Último, o Único Natal (Loyola); Com Maria, a Mãe de Jesus (Paulinas); Um mês com Maria (Paulinas); Anunciai a Boa Nova (Canção Nova); Dai-lhes vós mesmos de comer (CNBB) e Se eu tivesse uma câmera digital… (Paulinas).

VOCAÇÃO RELIGIOSA

Nascido em Brusque, Santa Catarina, Dom Murilo Krieger sentiu o chamado à vocação sacerdotal ainda na infância, quando, aos seis anos, viu o irmão mais velho, Marco Aurélio, arrumando a mala para ir ao seminário. Curioso, o pequeno Murilo perguntou: “o que é seminário?”. Após a resposta do irmão, ele pensou: “então, se eu for para o seminário, também ganharei uma mala”. “Claro que não se tratava de vocação, mas de um sinal que Deus colocava em meu caminho, para despertar em meu coração o interesse pelo sacerdócio”, recorda Dom Murilo.

O forte testemunho dos pais Oscar e Olga e o ambiente familiar religioso foram confirmando no coração o chamado ao sacerdócio. Aos 8 anos passou a ser coroinha na Matriz da Paróquia São Luiz Gonzaga, em Brusque. Era neste templo que o menino ficava impressionado com os padres que celebravam as Missas. “Eles falavam com voz forte (mais tarde descobri que era por falta de serviço de som) e demonstravam estar convictos do que falavam. Tinham, realmente, um grande amor à Igreja. Pensei, então, em ser como eles”, revela.

Aos 12 anos o jovem Murilo tomou a decisão de ingressar no seminário da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, fundada pelo padre João Dehon, por isso os religiosos são chamados de Dehonianos. Entre 1956 e 1962 Murilo continuou e concluiu os estudos; em 1963 fez o Noviciado no Convento Nossa Senhora de Fátima, em Jaraguá do Sul, Santa Catarina; e em 1964 retornou à cidade natal para iniciar o curso de Filosofia. Foi também neste ano, em 2 de fevereiro, que o então seminarista Murilo fez a primeira profissão religiosa.

Dois anos depois, em 1966, aconteceu a profissão perpétua e, neste mesmo ano, passou a cursar Teologia, em Taubaté, concluindo em 1969. Após este período de formação, aconteceu o momento mais especial: pelas mãos do então Arcebispo de Florianópolis, Dom Afonso Niehues, o o seminarista Murilo recebeu a Ordenação Sacerdotal em 7 de dezembro de 1969, na sua paróquia de origem, São Luiz Gonzaga, em Brusque. Começava ali uma longa caminhada de missão na vida da Igreja.

CHEGADA A SALVADOR

O cardeal dom Murilo Krieger chegou a Salvador na noite do dia 22 de março de 2011, uma terça-feira (22), por volta das 20h50. O cardeal assumiu a mais antiga arquidiocese do Brasil na sexta-feira (25) no lugar do então arcebispo primaz do Brasil dom Geraldo Majella, que deixou a função após 12 anos. Dom Murilo foi recebido com muita festa. Vários fiéis lotaram o saguão de desembarque do aeroporto com cartazes e cantaram muito para dar as ‘boas-vindas’ ao novo arcebispo primaz. Dom Geraldo Majella esteve no aeroporto para receber o seu substituto. Integravam a comitiva, o bispo auxiliar dom Gregório Paixão e vigários episcopais da região.

NOMEAÇÃO PAPAL

Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, tinha 67, era arcebispo de Florianópolis, quando foi nomeado pelo papa Bento XVI arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, primeira diocese criada no Brasil. Dom Murilo Krieger era arcebispo de Florianópolis desde fevereiro de 2002.

PERFIL DO ARCEBISPO

Dom Murilo S. R. Krieger

Aniversário natalício: 19.09.1943

Ordenação Presbiteral: 07.12.1969

Ordenação Episcopal: 28.04.1985

Nomeação como Arcebispo de São Salvador da Bahia: 12.01.2011

Posse como Arcebispo de São Salvador da Bahia: 25.03.2011

Lema: “Deus é amor”

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas