COP-25: Lula critica atuação de Bolsonaro em problemas ambientais no Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma carta para ser lida neste sábado, 7, aos participantes da 25ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas


Tribuna da Bahia, Salvador
09/12/2019 09:30 | Atualizado há 13 dias, 16 horas e 23 minutos

   
Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma carta para ser lida neste sábado, 7, aos participantes da 25ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP-25), que ocorre em Madri, na Espanha.No documento, publicado no site oficial do PT, Lula relembra políticas ambientais adotadas durante os anos de gestão federal petista e critica o atual governo do presidente Jair Bolsonaro. "É um governo que já demonstrou em palavras, gestos e ações que não respeita a democracia, os direitos humanos e muito menos o meio ambiente, como o mundo pode comprovar nos recentes incêndios que atingiram a Amazônia ou no criminoso descaso diante do desastre causado pelo derramamento de óleo na costa do nordeste brasileiro", disse.

Para o petista, "governos como esse (de Bolsonaro) representam uma agenda destrutiva, individualista e concentradora de riqueza, que havíamos superado na América Latina". Lula destaca que a conferência deveria ser realizada no Brasil, mas foi "boicotada" pelo "governo de extrema direita que atuou pela sua transferência para outro país, antes mesmo de tomar posse". A COP-25 chegou a ser transferida para o Chile, mas o país vizinho não pode realizar o evento em razão dos protestos que ocorrem contra o governo local. A terceira opção, então, foi a Espanha.

Quanto à gestão de seu partido, o ex-presidente ressaltou na carta que o PT contribuiu para o enfrentamento das mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que promovia respeito ao meio ambiente e à biodiversidade brasileira. "Durante 13 anos reduzimos 59% o ritmo de desmatamento na Amazônia junto com os governos estaduais temos 114 unidades de conservação de florestas tropicais protegendo 59 milhões de hectares de florestas nativas e áreas indígenas nelas existentes", pontuou.

O período em que o ex-presidente permaneceu preso na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) também foi citado no documento. O petista agradeceu pelas "diversas mobilizações e declarações de solidariedade organizadas pelo movimento sindical internacional", diante da "prisão injusta" a qual foi submetido. Segundo comunicado no site oficial do PT, a carta de Lula foi lida pelo secretário do meio ambiente da CUT Nacional, Daniel Gaio, durante um ato realizado em frente à embaixada do Chile, em Madri, contra a política neoliberal do presidente chileno Sebastian Piñera.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas