Thiago Neves afirma que aceita jogar a Série B pelo Cruzeiro e evita Perrella: "Prefiro pessoas mais honestas e justas"

Meia do Cruzeiro, que tem contrato até o final de 2020, está afastado do clube desde a 36ª rodada do Campeonato Brasileiro


Tribuna da Bahia, Salvador
09/12/2019 15:36 | Atualizado há 13 dias, 14 horas e 17 minutos

   
Foto: GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Afastado do Cruzeiro desde a 36ª rodada do Campeonato Brasileiro e visto pela torcida como um dos vilões pelo rebaixamento inédito para a Série B, o meia Thiago Neves se pronunciou pela primeira vez, após a queda inédita. O jogador, em entrevista ao canal Fox Sports, lamentou o descenso cruzeirense, afirmou que aceita reduzir seu salário e cumprir seu contrato - vai até o fim de 2020 - e revelou que foi consultado para atuar na última rodada, diante do Palmeiras, no último domingo, em partida que poderia livrar a Raposa.

Thiago Neves tem um dos maiores salários do Cruzeiro e contrato até o fim do próximo ano, com possibilidade de renovação por mais um se atuar por 42 vezes em 2020.

"Meu contrato vai até o final do ano que vem. Por mim, eu cumpro meu contrato independente de ter que jogar a Série B. A opção vai ser sempre do Cruzeiro, o Zezé que vai decidir, o presidente que vai decidir, o que eles acharem melhor, nós vamos sentar e conversar e a todo momento pensando no Cruzeiro, não quero pensar no Zezé, não quero pensar em ninguém, o que for melhor pro Cruzeiro, para mim tá bom", disse o jogador.

Thiago Neves, que não atuou com o técnico Adilson Batista, disse que prefere não conversar com o gestor de futebol e presidente do conselho deliberativo, Zezé Perrella, por preferir falar com "pessoas mais honestas e justas".

"Eu vi pouca coisa. O Zezé fala tanta coisa que não dá nem para saber o que ele falou o que ele não falou. Para ser bem sincero, eu prefiro nem conversar com ele, sento com outras pessoas que eu acho que talvez são mais honestas e justas e que eu respeito mais. Para ficar no Cruzeiro ano que vem eu toparia sim! (redução de salário)".

O meia cruzeirense afirmou que sua permanência depende da presença de Zezé Perrella no clube mineiro.

"Até pelo que ele falou também. Até por ter colocado toda a responsabilidade em mim. Ele achou que ia chegar mudando o clube, dar um choque em todo mundo e não foi isso que aconteceu. Prometeram um tanto de coisa, pediram a saída do Itair, falaram que ia acertar salário, premiação, e não tiveram nada. Depois que entraram fica muito fácil. Quando que você está fora é muito fácil você xingar, julgar as pessoas. Quando eles entraram, não fizeram nada para mudar a situação. Nada (foi cumprido). Única coisa que foi feita foi a saída do Itair. Falaram que ia acertar tudo e não acertaram nada", afirmou o jogador.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas